Vai para três meses que Luanda está sem energia elétrica. Entretanto, há quarenta e dois anos os que governam por direito de sucessão apostam na diversificação da economia… sem energia eléctrica. E o fumo do gerador do banco millennium-atlântico na rua rei Katyavala mata-nos. Em Luanda, matar é facturar.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Diário de um preso político (02)

Luaty Beirão. Preso político acusado da invenção de tentativa de golpe de estado e de… terrorista.

Era um governo muito desgraçado
(Inspirado em Vinicius de Morais. 1913-1980)

Era um governo muito desgraçado
Não tinha dólares não tinha nada
É um governo que por onde passa
Só deixa rastos de vampiros, desgraça

Não tinha intelectuais só tinha farsa
Tinha mandatários que vendiam trapaça
Não tinha noção de responsabilidade
O que mais provava a sua imaturidade

Era um governo que ao deus dará navegava
Só jovens prendia e os torturava
Acusava-os de golpe de estado e os prendia
Nas prisões não viam a luz do dia

Era um governo que não tinha economia
A Igreja muito solícita o aplaudia
Há muito que se corrompia
Nas manobras de diversão jazia

Era um governo que as mães açoitava
E quando uma mãe se manifestava
A feroz repressão lhe golpeava
Porque contra o poder atentava

Era um governo da população
Que vivia domiciliada na prisão
Só se safava quem era da corrupção
E a oposição ladrava em vão

Era um governo que casas não construía
Mas que aos milhares as destruía
Não tinha noção de propriedade
Era um governo da irresponsabilidade

Presos políticos são aos montes
Servem muito bem de bodes expiatórios
Os preços sobem e os brutamontes
Mais perfídias cozem nos seus laboratórios

Presos políticos acusados de terroristas
Economia no caos e a moeda também
Num pequeno grupo de sadomasoquistas
Tudo é deles e de mais ninguém

Presos políticos nas celas sem acusação
Terrorismo é subir, subir, o preço do pão
Quem prende presos políticos é a corrupção
Liberdade para os presos políticos … senão!