sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

O caos económico e social da fome



A miséria está presente
A fome está permanente
A governação está doente
A fome mata a gente

Caos económico e social
A seita que nos governa
Isto está um grande carnaval
Governo do circo da baderna

E tudo menos governar
Regime do circo a brincar
Pela fome nos matar
Da chacina da fome não vamos escapar

O país do todos prender
De presos políticos abastecer
Das montanhas do lixo a crescer
Não temos nada para comer

O lixo é monumento nacional
Uma das maravilhas sem igual
Cada vez piores, tudo mal
Há que nos libertarmos deste bananal

A incompetência é generalizada
As estruturas são de fachada
No palácio a governação está fechada
A irresponsabilidade está montada

O desastre total está anunciado
O poder está ameaçado
O poder está tombado
O povo está manietado

É o poder do deixa andar
Só presos políticos sabe julgar
O tudo e todos condenar
A vida dos cidadãos desgraçar

Já não se pode comida comprar
Os preços estão a disparar
Desta cilada temos que escapar
“haveremos de voltar”

O governo das febres hemorrágicas
Há quarenta anos que se demitiu
O poder das estratégias trágicas
Sempre nos mentiu

A febre-amarela e a fome nos devora
Os serviços de saúde foram embora
Estamos nos braços da morte agora
O povo grita! Mpla fora! Fora!