terça-feira, 19 de abril de 2016

RESOLVE-SE TUDO … A TIRO



Na Huíla numa manifestação
Dois estudantes foram feridos a tiro
Reivindicavam o aumento das propinas
Às crianças tudo o que merecem, tiros

E os presos políticos foram a desterrar
E a oposição de cabeça no ar
Tem medo de se manifestar
E de tudo o que a faz amedrontar

E quem a fome reivindicar
Muitas armas virão a disparar
Na tentativa vã de silenciar
O que não se pode calar

A miséria intelectual
Deste fado sobrenatural
Desta gente sem igual
Da falta de intelecto proverbial

Juntos num campo despovoado
A Igreja não fala do seu pecado
Talvez disto só reste um ducado
Oh! Como está tudo tão malvado

Ai esta oposição
Que nos finta como o governo ladrão
Não luta contra o cheiro da corrupção
Não queremos outro poder fanfarrão

Tais políticos já não suporto mais
Vamos dizer adeus aos jornais
A mortandade prossegue nos hospitais
E os políticos com caras de pardais

Obrigar impostos onde não há dinheiro
Como se a população fosse joalheiro
Mas se o governo é rendeiro
E grande latifundiário, fazendeiro

O dinheiro está nos paraísos fiscais
Do Panamá e muitos mais
Esconder a mortandade dos hospitais
E a corrupção dos superiores oficiais

A oposição não tem nada de credível
É uma oposição inútil
Os seus políticos deviam ficar calados
Já não se suportam tamanhos enfados

Desligo o rádio e a TV quando falam
Porque mudos devem ficar
Tamanho sofrimento é escutar
A quem perdeu a noção de informar