sexta-feira, 28 de abril de 2017

A DESTRUIÇÃO DA DESTRUIÇÃO



Com este partido no poder
Muita fome vamos ter
Vamos todos morrer
Que mais nos pode acontecer?
A mais velha vai votar
No partido do seu coração
Muito, muito vai chorar
Quererá comer não vai ter pão
Neste comunismo do sofrer
Que a oposição não sabe combater
A oposição está-se a esconder
Ninguém sabe o que fazer
Angola não vai escapar
Mais um Congo vai ficar
Deus as igrejas mandatou
Para colher o que não se semeou
Isto não tem solução
Nem para vida de cão
Só dá para vampiros
E para quem anda aos tiros
Até na electricidade de ocasião
Há discriminação
Na sua distribuição
Reina a lei da desolação
A oposição vai votar
Vai-se deixar ludibriar
Deixar-se dominar
Ir na onda, a levar
Estou sempre a pensar
Em pôr-me a andar
Porque isto está-se a complicar
Não dá para se safar
Só gente galdéria
Nos impõe a miséria
As microempresas vão apoiar
Sem eletricidade vão-se apagar
Este inferno não vai parar
Há que dele escapar
Eles querem nos torrar
Já se estão a preparar
Quem acredita em destruidores
Só salteadores
Ó pátria destroçada
Refém da cambada