sábado, 17 de junho de 2017

A CONTINUAÇÃO DA GRANDE TRAGÉDIA



República das torturas, das milícias e das demolições
Diário da cidade dos leilões de escravos

Pequena história de África: a África foi colonizada, libertou-se e foi outra vez colonizada. Depois libertou-se e outra vez foi colonizada. Voltou a libertar-se e o resto já se sabe.

Manifestação contra a corrupção? Jamais, não! A propósito, quando é que sai o imposto para pagar a corrupção?

Como costuma dizer o jornalista Orlando Castro: uma é a democracia da lagosta, a outra, a do povo, é a democracia da mandioca.

O que é que está errado aqui? Há quem continue a ir passar, apesar do tormento da miséria e da fome que nos consome, o fim-de-semana na ilha do Mussulo em casa alugada com piscina.

O que os nossos deuses ainda não sabem: “o que é necessário é um governo que governe, quadros que dirijam e trabalhadores que trabalhem.” (Assim falou, António de Sommer Champalimaud. 1918-2004)
Uma quitandeira falou assim em estilo enigmático que quando é a semana dos chineses elas ficam sem peixe. O que sugere que os chineses carregam o pescado para a China. Depois será também a vez do mar? Será que por tal andar ficaremos sem mar?
Amigo leitor, diga-me lá, ajude-me, creio que isto se parece mais com uma república dos arrotadores de postas de pescada, estou certo, não é?

A grande tragédia, sempre a grande tragédia: foi decretado que o vencimento mínimo nacional será de 16.000 kwanzas. Um salário para escravos, a reforçar que o colonialismo e a escravidão jamais daqui sairão. Quer dizer que os trabalhadores, isto é, os escravos onde trabalharem serão obrigados para sobreviverem a roubar e carregar qualquer coisa para comer porque os filhos famintos em casa os pais estão a esperar. Têm que roubar para os filhos conseguirem sustentar. Isto dá mesmo vontade de chorar. Quando e como é que esta desgraça vai acabar? Só o demónio o pode declarar.

Quando tudo está fora de lógica significa que pouco ou nada falta para a grande tragédia. Noticiário da grande tragédia: “Já há armas de fogo envolvidas na disputa político-partidária em Luanda… Perigoso! No último sábado, (10/06/17) na Maianga, jovens supostamente afectos à JMPLA, armados com armas de guerra, retiraram bandeiras que jovens da JURA estavam a colocar nas ruas daquela circunscrição administrativa... Segundo os referidos jovens afectos à JURA, os jovens que julgam pertencer à JMPLA faziam-se transportar numa viatura de caixa aberta, e traziam consigo armas de fogo e uma escada que utilizaram para retirar as bandeiras!” (Emanuel Malaquias In Facebook 13/06/17)

“Engendrando todo tipo de batota, como a de conferir, exclusivamente, ao MPLA, cerca de USD 5,00 (cinco dólares) por barril de petróleo exportado. CONFIRMADO é um roubo doloso, passível de procedimento criminal, por associação de quadrilha, cuja engenharia é a delapidação contínua de património comum...” (William Tonet In Folha 8 edição 1321 de 10/06/17)
“O exemplo mais acabado foi a arrogante e recente supressão dos canais e programas da estação televisiva portuguesa SIC da plataforma DSTV.”  “Neste país, a formação técnica e académica não são garantia de bom emprego ou de remuneração decente. Já ser sabujo ou adulador profissional é o segredo que abre as portas do sucesso e das fortunas.” (Correio Angolense)

“Sonangol "em suspenso" até eleições, perde "muitos milhões de dólares de grandes companhias petrolíferas internacionais" avisa o director do Programa África do Instituto Real de Assuntos Internacionais do Reino Unido, Alex Vines. "Não vou dizer quais são, mas eu sei que há muitos milhões de dólares de investimento de grandes companhias petrolíferas internacionais que estavam reservados para Angola e que agora vão para outro lado", disse o responsável, em entrevista à agência Lusa. Segundo o especialista, essa 'fuga milionária' deveu-se ao cancelamento da ronda de licitações para um novo bloco no mês passado, desfecho que, no seu entender, "mostra que a Sonangol percebeu que não consegue atrair as licitações de que precisa". (Novo Jornal Online)

Alarmante: São cinco quinguilas que habitualmente poisam aqui na banda, mas hoje não estava nenhuma. Decidido a desvendar o mistério do desaparecimento das quinguilas consegui saber perguntando aqui e ali, não foi difícil, obtive a informação que foram todas, cada uma para o seu óbito. Isto também é para anexar ao noticiário da grande tragédia, porque as pessoas estão a morrer de tal modo que chegado o dia 23 de Agosto para a votação eleitoral, quantos eleitores sobreviverão?’ Quantos eleitores votarão?

Agora já não é impossível viver, é impossível sobreviver. A Save the Children diz que Angola é o segundo pior país do mundo para ser criança.

Sempre existirão crédulos, sempre existirão igrejas e sacerdotes que deles se servirão, e os crédulos para tal exército trabalharão. E depois quando houver aglomerado de crentes, a peregrinação, edifica-se um santuário e nele se coloca uma estátua de um santo padroeiro. Depois vem a evangelização, a civilização.

Será que esta gente ainda não sabe que caminha para a grande tragédia?  

E com isso das taxas do lixo, na ENDE, a empresa que não consegue distribuir energia eléctrica, já há preocupações devido à queda brusca das receitas, podendo inclusive levar a ENDE a ter problemas de tesouraria, pois as taxas do lixo dão pouca margem para os pagamentos dos clientes, sejam recargas do pré-pago ou não. É mais o avolumar da grande tragédia sem fim. Já na ENDE se diz que os mentores da cobrança das taxas do lixo terão que procurar outra via para a sua cobrança.

Outra vez os desmaios nas escolas: Recomeçaram na escola António Jacinto em Luanda. Cerca de cinquenta adolescentes desmaiaram num corredor devido a um forte odor e foram socorridos no Hospital dos Cajueiros. Três ou quatro em estado crítico. Até hoje esse mistério continua. Qual é a origem dos desmaios? Até agora, apesar de muitas investigações com apoio de laboratórios internacionais não se conseguiu chegar a nenhuma conclusão. Extraterrestres em Angola?

Falar, falar, e nada mais acrescentar, é como os corvos a grasnar. Tudo é utilizado para nos ludibriar. E à revelia se promete defender a causa da democracia. E em romaria marcham os democratas para o túmulo da democracia.

Os cães ferozes que despedaçam crianças continuam impunemente a circular nas ruas com os seus donos. Quer dizer que os seus donos também são animais ferozes.

Sobre os assassinatos atribuídos ao SIC-Serviço de Investigação Criminal, e agora também sobre os seis cadáveres encontrados na pedreira do Cacuaco, arredores a norte de Luanda, a Polícia diz nada ter a ver com esses crimes e que está a investigá-los. Depois disto lembrei-me da outra grande tragédia de 1992, porque, creio, os sintomas parecem os mesmos.

Oh, como os porcos estão felizes, rebolam no chiqueiro da democracia. Mais um país que embarca no cortejo fúnebre da democracia do para onde vais Angola, para onde vais África. Com tanta gente que mente, para a democracia não vai certamente. Confrange ver estupores, impostores que só nos trazem dissabores. Eis a grande tragédia que edificaram, e a democracia tramaram. Ninguém apresenta soluções, só desilusões. Qualquer gato-pingado do poder ou da oposição, na rádio e na televisão apregoam a sua vaidade, a sua exibição, a sua ambiguidade. Falam, falam, e pronto, estão os problemas resolvidos. É vê-los nas vestes de grandes democratas salvadores da pátria, libertadores da opressão que fortemente fustiga a população. É falsidade, leviandade, porque logo saídos do palco regressam à sacanagem do chiqueiro dos porcos democratas. Esta é a vinha do chiqueiro democrático onde os porcos da democracia chafurdam. Democratas em tempo de eleições e de outras aparições. Então, para onde vais Angola? Para o banho no chiqueiro democrático. Até parece que se perdeu a noção do que é e para que serve um partido político da oposição.

Mais danação não! Vão-se catar!