sábado, 7 de fevereiro de 2015

23-28Jan15. República das torturas, das milícias e das demolições





Diário da cidade dos leilões de escravos

23 de Janeiro
Nada mudou, os mwangolés continuam a vender nas ruas como antes, e os colonos governam também como antes.
Jamais esqueçam Bhopal: “Em 3 de dezembro de 1984, na região de Bhopal, Índia, aconteceu na fábrica de pesticidas Union Carbide um terrível vazamento de isocianato de metila que, ao entrar em contato com a atmosfera, se decompôs em gases tóxicos que geraram uma nuvem letal, que começou a se dissipar próximo ao solo da cidade. Milhares de pessoas e animais morreram de forma quase que imediata e outras em acidentes durante o desespero pela fuga. Acredita-se que 8.000 pessoas morreram na primeira semana e outros 12.000 depois, devido às sequelas deixadas pelos gases. No total, calcula-se que morreram cerca de 25.000 pessoas e cerca de 600.000 foram afetadas. Vale destacar que aquela fábrica era propriedade de um grupo americano que, em negociações acertadas com os políticos da região, estabeleceu a operação no meio de uma área residencial, cujos habitantes receberam felizes a novidade nos anos setenta. Eles precisavam de trabalho, precisavam de infraestrutura (águas, pavimentação) que a empresa lhes deu. ” In blogdomax
Creio que já notaram que o actual clima de Luanda se parece muito com o cacimbo, porque está sempre nublado, exceptuando a temperatura é exactamente o cacimbo. Está tudo virado.
Das 10.41 até às 14.42 horas levámos com mais um apagão. Às 16.13 fomos chicoteados com uma violenta oscilação eléctrica. Só se aposta na destruição. Às 23.41 outra terrível oscilação na energia eléctrica. E nada nos resta, nada nos restará.
05.30 horas. Acordo com a vozearia do vizinho indiano a rezar. Quando será que nesta cidade se poderá dormir em paz?! Sem sono reparador não se poder pensar, não há desenvolvimento mental, económico, e claro, muito menos social. Na verdade é como se estivéssemos em guerra.
24 de Janeiro
O mundo está cheio de pessoas boas que fazem coisas ruins. In Hercule Poirot, Os Relógios, de Agatha Christie. (1890-1976)
Às 00.35 horas outra oscilação na rede de abastecimento de energia eléctrica – será que os terroristas estão aqui em força e nós não sabemos?, é bem possível, pois se eles são imprevisíveis – ouviram-se estrondos dos ares-condicionados como se fosse o fim do mundo. Acredito que muita coisa se destruiu, ou se não aconteceu, o tempo de vida dos equipamentos diminuiu, e se forem chineses, nada há a comentar, excepto o: comprem-lhes mais.
23.53 horas. Para os lados da Ilha de Luanda ouve-se intenso ribombar de fogo-de-artifício. Para eles o preço baixo do petróleo não os aflige. A merda não mudou, continua na mesma.
Dois litros de lixívia Lavax comprada numa cantina dos asiáticos… eram água. Um país sem lei é faroeste!
As três moças muito bonitas afinal eram espíritos. Fizeram buraco no tecto, entraram na casa, dominaram o senhor, ele pensava que eram anjos vindos do paraíso. Fizeram-lhe tudo o que ele pediu, foi uma grandiosa noite de orgia sexual. De repente fugiram, desapareceram. Elas apresentam-se muito bonitas, mas são almas do outro mundo.
25 de Janeiro
A religião não nos liberta, oprime-nos, dizima-nos, escraviza-nos.
Circula por aí a notícia de que no Cacuaco, arredores de Luanda, nasceu um demónio. A mãe recusa-se a amamentar o recém-nascido. Outra mamã disse para não o matarem, para o deixarem ficar assim até morrer. Mas parece que já o mataram, disse outra mamã.
Vinte e uma horas, no rumo da derrocada: a cerveja cuca está a cem kwanzas, mandei comprar duas. A Lwena como sempre tomou conta do comando das operações especiais. Mandou um jovem vizinho. No fim ela apresentou o relatório: «Ali nos brancos estão a vender a duzentos kwanzas. Mais longe na Mariquinha, está e cem kwanzas.»
26 de Janeiro
Quando uma maluca e um maluco se juntam e depois fazem filhos, isto chama-se manicómio.
Onde esta cidade chegou: um chinês veio de tão longe, da China, parte madeira que mistura com resíduos plásticos, queima produtos altamente tóxicos para fazer alcatrão, que usa para revestimento de interiores e exteriores, e faz fogueira para as suas refeições, não se importando que o fumo entre nas casas dos prédios próximos, criando problemas respiratórios e posteriores cancros. Ele faz isso porque por trás está um general, chama-se Ledi. Que horrível cidade onde não nos podemos queixar, porque parece dominada por pistoleiros profissionais.
27 de Janeiro
Infelizmente esta verdade do filme, 55 Dias em Pequim, continua válida em Angola. “O filme de Nicholas Ray (que se reserva o papel de cônsul norte-americano) é uma ode às "razões do Colonialismo". Nele, os colonialistas são os heróicos defensores da Civilização, os chineses (construtores de uma cultura milenar) são um povo atrasado e inferior, e os boxers não passam de bandidos "terroristas".” In Wikipédia.
A França tem cinco mil islamistas suspeitos de terrorismo, mas que é impossível vigiar tão grande número. É caso para dizer: o apocalipse chegou.
Há cada mwangolé mais burro. Então o mwangolé está a pôr sal – desse de mesa muito fino que ilude a quantidade – e não pára. Chamo-lhe a atenção que demasiado sal mata. Mas ele como bom mwangolé não liga e continua a por sal na comida. Creio que os mwangolés conseguiram mais uma vitória: a loucura.
Se em Angola existirem trezentos mil chineses, isso significa que temos trezentos mil focos de poluição.
28 de Janeiro
Na Mabunda, bairro da Corimba, em Luanda, um segurança disse que um mais velho perseguia uma criança talvez aí dos seus cinco, seis anos, com intenções visíveis de a aniquilar. O segurança manipulou a arma e ameaçou o mais velho que largou a criança. Depois a criança disse-lhe que conseguiu fugir de um saco que esse mais velho lhe tinha enfiado no corpo e atirara-o ao mar. Mas a criança conseguiu escapar. E quando o mais velho a viu ficou muito espantado por ainda estar com vida. E então perseguiu-a para a matar para que ela não dissesse a ninguém o que se tinha passado. Depois a criança levou o segurança num quarto e lá estavam muitas crianças, dessas muito pequenas que ainda não sabem falar, as preferidas dessa rede de crianças. E que essa rede dedica-se ao negócio da compra de crianças.
Um senhor reuniu três kinguilas e disse-lhes para arranjarem trinta mil dólares porque tinha o equivalente em kwanzas para trocar. Elas assim fizeram e quando chegou o momento da troca o senhor disse-lhes para virem para o carro dele porque fora, na rua, era muito perigoso. Elas entraram e o senhor apontou-lhes uma pistola e disse-lhes para deixarem o dinheiro e porem-se a andar.
As kinguilas andam cheias de medo porque os meliantes andam a assediá-las para as assaltarem.
O ouro está a 1.291.70 dólares, o brent crude a 49.60 e o WTI crude a 46.23 dólares. E um ciclone financeiro varre Angola. A história da galinha dos ovos de ouro repete-se, como se a sua história fosse desconhecida. Fácil é viver no paraíso do petróleo mas quando os preços ficam uma pechincha, dramático é viver no inferno.
Tornou-se vulgar dizerem-me que algumas mwangolés quando desaparecem da circulação é porque foram em missão de serviço. Afinal elas vão para o estrangeiro fazerem operações cirúrgicas.
Temos que diversificar a nossa economia, diz-se por aí, isto é, devemos redobrar os nossos esforços para os investimentos no petróleo porque é a única coisa que nos dá dinheiro. O resto não nos interessa porque dá muito trabalho pensar, e como as nossas cabeças há muito estão gastas pelo tempo, nada há a fazer.