quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

29Jan-05Fev15. República das torturas, das milícias e das demolições




Diário da cidade dos leilões de escravos

29 de Janeiro
ELPAÍS: Nicolas Maduro, presidente da Venezuela, ordenou ao exército que atire a matar sobre manifestantes.
VOA: “Uma carta do Director Nacional do Comércio Externo de Angola determina a suspensão de pedidos de importação de arroz, açúcar, farinha de trigo, óleo alimentar, cimento, telhas, tijolos, bebidas alcoólicas e não alcoólicas, feijão e carnes congeladas e ovos. Está ainda suspenso o licenciamento de exportação de sucatas ferrosas e não ferrosas.”
Luzia Silva Gomes: “Será verdade a versão do assalto de ontem na sagrada família? Já encontraram os bandidos, foram mandados pelo gestor da conta! O motorista e o segurança fugiram, os bandidos levaram 30.000 usd a senhora é mulher do Boss Dr. Eugênio da LS. Isso são as informações do assalto de ontem. Portanto cuidado com os vossos gestores. A repassar: Sobre o assalto de ontem. Quem orquestrou tudo foi o motorista da vítima. O caso dos ladrões foi o motorista, no momento do assalto a senhora estava a entregar a pasta que estava no colo dela que era a preta da filmagem, e o motorista diz que não é esta é a creme que está de baixo do banco. A senhora se dirigiu à esquadra e mandou prender o motorista, lá os polícias usaram os métodos tradicionais e deram uma porrada ele teve de confessar
os ladrões e motoristas estão presos.” In Portugueses em Angola
A célula terrorista do banco millennium Angola, o banco da morte: O banco millennium Angola, na rua rei Katyavala, em Luanda, continua na sua actividade criminosa, terrorista, porque não se importa, não dá valor à vida dos outros. Nesta cidade o matar tornou-se uma vulgaridade tal que ninguém dá valor à vida de ninguém. Isto sim, é que é puro terrorismo. Assim, o seu gerador maluco liga e desliga à toa, porque a energia eléctrica aqui na zona tem estado estável. Nos dias 19, 20, 21 e 22 de Janeiro, vomitou fumo tal e qual – muito pior - o vulcão de Cabo Verde. Só lhe falta a lava, mas acho que também lá chegaremos. De 19 a 21 o gerador pelas 10 horas da manhã expeliu fumo durante dez minutos como um grande vulcão. No dia 22, das 14.03 até às 14.10 horas foi uma monstruosidade. Há uma intensa corrida para fechar portas e janelas senão morremos asfixiados. Já várias vezes os vizinhos reclamaram, mas em vão, porque este banco é da maldição do petróleo. É mais uma tempestade perfeita desta lei sem lei que protege criminosos, fabrica terroristas que depois se lançam contra a Europa. Aqui medito, que a Europa fará uma reunião com vinte e dois países para combater o terrorismo do estado islâmico. Como é que a Europa irá combater o terrorismo se ela o apoia, o fabrica, como é o caso deste banco. Para que a Europa obtenha êxito no combate ao terrorismo tem que ordenar às suas empresas, governos, bancos etc, para que cessem as suas actividades terroristas fora das suas fronteiras. Quer dizer, a democracia é só para o interior da Europa, para o seu exterior é a democracia do inferno, do terrorismo da morte. Das 16.16 horas o gerador do banco da morte retomou a sua actividade: matar-nos o mais rápido possível. Terminou às 16.41 horas. Pretende-se fazer da vida dos moradores um horripilante terrorismo para depois construírem mais uns prédios? Edificar mais uma pátria de terroristas é preciso!
30 de Janeiro
Na baixa de Luanda, em frente ao Jornal de Angola, o jovem vende mortadela e fiambre daqueles grandes em rolos. Os fiscais conseguem estacionar sem que ele dê conta. Então caiem-lhe em cima e conseguem apanhar-lhe um saco bem guarnecido que escondem debaixo do banco do motorista. Carregam com ele e o resto da mercadoria para o carro. Mas o jovem consegue fugir, apesar dos gritos dos fiscais. O jovem a sorrir disse: “ Isso é para eles e as suas famílias comerem. Com isso da baixa do preço do petróleo eles andam esfomeados.
31 de Janeiro
Hoje sem água, e privaram-nos de energia eléctrica das 08.45 até às 09.43 horas.
Que o espaço não tem fim, é infinito, mas não há nada infinito.
Há poucos meses o hotel Katyavala, próximo do largo do Zé Pirão, do general Ledi, os hóspedes fugiram – toda a gente fugiu, fuga digna de um navio prestes a ir ao fundo – devido a um curto-circuito. Pouco faltou para o hotel ficar pasto das chamas. Este hotel tem vivido vários problemas desde a sua construção pelos chineses, até já chegou ao ponto de nas torneiras sair água dos esgotos porque os técnicos chineses enganaram-se, ligaram a canalização da água ao tubo do esgota da rua. Neste caso do curto-circuito qualquer um é electricista, é no que dá. Vamos incendiar Luanda! Como exemplo, basta citar as ligações que os chineses fizeram quando montaram o pré-pago: pegaram nos condutores eléctricos e ligaram-nos com um alicate e com uma fita isoladora. O trabalho foi todo aldrabado, péssimo, digno de amadores, de quem não entende nada de electricidade. As fitas começaram a soltar-se. Muitos incêndios se esperam por aí. 
01 de Fevereiro
Ela trabalhava no banco e lá conseguiu encher um saco com dinheiro. Já na rua, afastada, despiu-se completamente e nua passou pelos polícias e por toda a gente. Ninguém lhe ligou porque era mais uma maluca que por aí andava, e como Luanda tem muitos malucos e malucas que andam pelas ruas, ela conseguiu safar-se com o saco carregado de dinheiro.
E ainda se insiste nisto: “faremos de Angola uma pátria de trabalhadores”. De trabalhadores estrangeiros.
02 de Fevereiro
Dhlakama: “É preferível eu enforcar-me do que um dia desses dizerem que o Dhlakama tudo o que dizia era mentira, está aí a comer com a Frelimo em Maputo”
No caso do Coréon Dú, há nitidamente uma manobra de diversão: Então, e as meninas crianças que andam por aí aos montes satisfazendo os apetites sexuais de uma cidade inundada de pedófilos, isso é o pior, abominável crime que ninguém denuncia, e que comparado com um beijo entre dois homens numa telenovela serve para mobilizar os instintos mais baixos da religião falhada e da sua falsa moral.
03 de Fevereiro
E das 10.22 até às 11.44 horas levámos com mais um apagão.
Foi um pesadelo daqueles: primeiro senti a janela e a cama a tremerem. Era mesmo um tremor de terra. Lá fora ouvia muitos gritos de pânico e confirmei que era mesmo um terramoto. Depois, um vulto sai da janela e vem com um tubo – parece de madeira – bem afiado na ponta para me espetar, me matar. Rodo na cama e consegui safar-me. É um gatuno que me quer matar para me assaltar. Ele levanta o tubo outra vez para me espetar, para outra vez me tentar matar, e eu na cama a rodar, a rodar para me conseguir safar. Então, começo a berrar pela Lwena para que ela me venha salvar. E assim aconteceu, consegui ela acordar. Ela estava assustada com os meus gritos, conseguiu despertar-me do pesadelo da morte. Depois sentei-me na sala e lá fiquei um bom bocado bem desorientado, cheio de medo até acalmar e depois para a cama voltar. Nos dias anteriores também tive alguns pesadelos mas não tão violentos como este. Já há mais de uma semana que durmo com a luz acesa e os pesadelos desapareceram.
Dois dias depois tive um pesadelo ao contrário. Estava um maluco muito corpulento a dormir debaixo de um carro na rua. Era de noite e no carro, pai, mãe e filhos dormiam. De repente vem uma grande chuvada que depressa faz um rio e inunda o maluco, que para sair debaixo do carro, levanta-o e põe-se a andar, fazendo com que os seus ocupantes abrissem as cortinas das janelas e olhassem para todos os lados sem verem nada. Depois, outra vez o maluco debaixo do carro com a família lá dentro. É de dia, o pai prepara-se, põe o carro em movimento, mas não o consegue porque o maluco levanta-o e põe-se a salvo. Novamente as cortinas se abrem, a família olha para todos os lados convencida de que se trata de um tremor de terra. Acordei bem-disposto, a rir. Levantei-me e para onde ia, ria, ria. O nosso cérebro é incrível. Primeiro atira-me com um pesadelo horrível, depois presenteia-me com um sonho para rir.
O Elpaís noticia que o governo comunista chinês está aflito com a proliferação dos cristãos, que já são cem milhões.
Helder Ricardo Damião: “Kamba (cartão) rebentou ... Só com bilhete e valor máximo 250 mil akz. Finibanco já não dão dinheiro com bilhete de passagem e muitas transferências a serem canceladas ...”
04 de Fevereiro
Os heróis nos seus eternos descansos revoltaram-se porque o seu sangue derramado foi desprezado, porque o petróleo e Angola tudo foi surripiado pelos seguidores do saque declarado. E um estado de sítio – não parece – está-nos arregimentado. Neste 4 de Fevereiro vivemos num Estado desesperado. Com tanta miséria já vivida e mais a que aí vem, virão com as suas armas em riste sobre nós também.
05 de Fevereiro
O ouro está a 1.263.80, o brent crude oil a 54.16, e o crude oil a 48.45 dólares.
Que se pode esperar do só petróleo faz esta nação, nada de bom, não! Para eles está tudo bom, para nós esfomeados soltam-se os cães descontrolados.