sexta-feira, 30 de agosto de 2013

09 A 15 de Agosto. Diário da cidade dos leilões de escravos




09 de Agosto
Perante a lei somos todos iguais, mas perante a corrupção não. E os autores da corrupção dizem sempre que no país há justiça.
Procuram-se vassouras de muita boa qualidade para varrer de uma vez por todas o lixo desta sociedade importada.
No início uma pequena empresa desenvolve uma grande luta para conquistar clientes. Depois de o conseguir cresce, cresce muito, e o número de clientes torna-se infindável. Depois acaba numa grande corporação, uma empresa gigantesca que não dialoga com os seus clientes porque já não tem tempo, nem lhe interessa tal coisa pois atingiu o estatuto dos deuses, nem mesmo com aqueles que lhe deram origem, torna-se fria como o gelo, perde-se, despreza os seus clientes como se fossem um peão no jogo do xadrez. Esta agora imensa corporação é fiel, tal e qual uma ditadura, um governo de um país, até lhe apoia na espionagem da população. Por isso mesmo não existe nenhuma diferença entre uma grande empresa e uma ditadura, pois ambas procuram atingir os mesmos fins: a subjugação das pessoas.
A África ainda não se libertou da epidemia de Idi Amins, e enquanto isso permanecer veremos os próximos tempos – por incrível que pareça – sombrios, de esqueletos possuídos pela fome, onde a miséria é o quotidiano das populações africanas.
Nos Gambos, província da Huíla, as populações fogem da morte da fome, arrastam-se sessenta quilómetros até à localidade mais próxima. Lá espera-as outro martírio – sim, ser angolano é sinónimo de martírio nesta terra só para estrangeiros – mulheres carregam cem quilos de areia - chineses? Não duvido, pois eles estão autorizados a explorar e a agonizar angolanos – por… cinquenta kwanzas.
Quer queiramos quer não, este avolumar de chicotes faz com que a revolta seja um facto consumado. Só é de lamentar que a oposição não se mobilize e mostre a justiça às populações. Texto baseado no noticiário da Rádio Ecclesia das 12.00 horas.
10 de Agosto
A censura no “Portugueses em Angola”. Facebook
Então e um post que ainda a pouco aqui estava sobre o desaparecimento do Presidente de Angola que parece estar de férias?
Retiraram-no?
Até que já estava a ser comentado.
Não quero acreditar que haja censura neste grupo.
11 de Agosto
Esta é para o mano Sousa Jamba, para lhe fazer “pirraça”. Estou a escutar cânticos religiosos dos mwangolés na Igreja Adventista do Sétimo Dia, e ele lá em Jacksonville não tem esse privilégio.
Hoje sonhei com o PR José Eduardo dos Santos. Estávamos na cozinha, na minha casa, ele lia o Jornal de Angola, disse-lhe que as coisas assim como estão, cada vez piores, sem solução, num crescendo de arrepios, será uma tragédia sem igual, não se sabendo bem o seu final. Ele respondeu-me: «Sei muito bem disso!» Ao que eu lhe fiz notar. «Pouco falta para que também eu comece a passar fome.»
09.41 horas. Duas manas das Testemunhas de Jeová seguem na sua rotina de competição com a Católica, na campanha de porta em porta na angariação de novos eleitores – desculpem de novos crentes – aderentes para a sua causa religiosa e espiritual. Porque este mundo está perdido, e o Senhor já há muito que está entre nós, para nos observar e ditar quem vai para o Inferno e quem vai para o Paraíso.
Por aqui se vê a eficiência da nossa Polícia. Como é possível, motas de todos os calibres e feitios circularem por várias ruas de Luanda, e não lhes acontecer nada? Não dá mesmo para entender. A anarquia instalou-se definitivamente.
12 de Agosto
Reforço do que tenho alertado: nota-se claramente que há uma corrente de resistência que vai aumentando, reforçando, até acabar num levantamento geral seguido de forte tiroteio? O habitual? Mas como o Poder pensa que isto está tudo numa boa, controlado... deixa andar.
Entretanto as kinguilas estão muito agitadas. Assaltantes andam-lhes no encalço de motos-rápidas e em carros, muito bem vestidos.
Será possível que as pessoas honestas estão em vias de extinção? É que está quase impossível encontrar uma, como a célebre agulha num palheiro.
13 de Agosto
Os portugueses são bem-vindos porque ajudam Angola, mas há alguns que não são          bem-vindos. Locutor de serviço, pelas onze horas, na Rádio Ecclesia.
No bairro Margoso em Luanda a população revoltou-se contra a Polícia. Já há detenções. Rádio Ecclesia.
Luanda ficará uma zona residencial para estrangeiros?
Há uma clara intenção de correr com os mwangolés para uma reserva de caça?
"Comerciantes de Luanda para a Muxima." Rádio Ecclesia
Luanda. Bairro Margoso, demolições adiadas. Num cartaz de um manifestante:"O país não tem dono, Angola é de todos nós." Rádio Ecclesia
Luanda. Roubaram a pá carregadora. Boa noite pessoal, Quero pedir a todos os em Angola, Se sabem ou ouviram, ou viram ou possam ver uma máquina pá carregadora marca Caterpilar 966 com o vidro da frente estalado, a ser transportada num porta-máquinas durante a noite de ontem. (Portugueses em Angola). Facebook
14 de Agosto
Angola já está – pode-se dizer – totalmente dominada por estrangeiros. Não sei bem qual é a posição dos partidos políticos da oposição sobre esta grande desgraça. Importa-se de tudo, até jungueiros.
Porque será que as escolas primárias vão desaparecendo até deixarem de existir, para no lugar delas se erguerem as mais díspares construções? Não há dúvida que a especulação imobiliária é uma excelente promotora do analfabetismo.
Quando uma cidade está total ou parcialmente degradada, é sinal de que muitos estrangeiros nela vivem.
15 de Agosto
E todos os repórteres, de tudo o que é imprensa privada – a verdadeira não a outra de imitação – foram impedidos de cobrir o fecho da sessão parlamentar da nossa Casa das Leis (?). Rádio Ecclesia.
Quer dizer: como a nossa Assembleia Nacional é um objectivo estratégico, deve ser salvaguardada a sua segurança, não se permitindo o acesso a elementos perigosos para a segurança do Poder, como são os jornalistas -  eles mesmo – os tais, os famigerados elementos muito perigosos... até com a cabeça a prémio.
A discriminação racial continua. Segundo a Rádio Ecclesia: nem os albinos escapam. Um jovem albino com teste de admissão de dezasseis valores foi-lhe recusada a admissão no Tribunal de Contas.
Quando um capataz chicoteia um escravo mwangolé por puro prazer doentio – que mais poderá ser?  - e este protesta, o capataz afirma peremptório: «Escravo!!!, deixa-te de discursos incendiários!»