sexta-feira, 1 de novembro de 2013

República das torturas, das milícias e das demolições




Diário da cidade dos leilões de escravos
02 de Outubro
Se não acabarem com isto o mais rápido possível, isto vai dar um estouro daqueles. Aliás isso está mais que garantido. Deixem andar isto sem rumo, sem direcção…
Humberto Ferreira: Bom dia Caros! Preciso de equipas Chinesas, para assentamento de cerâmicos! Alguém tem contactos? Enviar msg privada! Obrigado. In Portugueses em Angola
03 de Outubro
O mano BB, Bento Bento, governador de Luanda, está á espera de quê para mandar caiar as bases das árvores? É que elas são muito importantes, sem elas não podemos viver Atrevo-me a declarar elas são mais valiosas que certas pessoas.
Luanda, bancos três dias sem sistema. Alves da Rocha, o célebre economista angolano disse na Rádio Ecclesia que a queda do sistema informático bancário se deve à falta do reforço da sua capacidade. O sistema não suporta o aumento dos clientes, é necessário que se aumente a capacidade do sistema informático. Hoje, quarto dia, o sistema melhorou. Quer dizer que continua tudo na mesma.
Sobre isto tenho a dizer que isso não impede que o sistema não caia a qualquer momento. E sabem quais são os quadros que estão na banca? São portugueses. Mentiram quando disseram que a banca estava preparada para o novo sistema cambial. Conheço-os demasiadamente bem, eles não gastam dinheiro, só gostam de sacar. Por exemplo, trabalhei com um que tinha uma rede no escritório com computadores 386. Quer dizer, aquilo não era trabalhar, era partir pedra. Angola é para rapinar, mais nada. Rebentar o sistema de Portugal e agora rebentar com o sistema de Angola. Pois, pois, chamem-lhe chauvinismo. Ainda não viram nada das capacidades desta gente. É só vigarice, tomar café, fumar, falar de desporto noite e dia, trabalhar?
A tal luz apagou-se às 07.26 e estupidamente luziu às 08.41 horas.
Mas porquê teimar na mentira ociosa de que sem energia eléctrica a economia da república de Luanda e arredores cresce, cresce muito. O PIB do petróleo cresce sim senhor, nos bolsos dos mesmos senhores. É isto que se chama economia moderna.
E pelo mundo afora a democracia está em perigo porque está dependente dos bancos. É por isso que lhe costumo chamar de democracia bancária.
Ali no prédio que dizem ser do ex/ministro das Finanças, José Pedro de Morais, próximo do largo Zé Pirão, três gigantescos geradores não param de trabalhar. A poluição do ambiente e o barulho infernal são constantes. O custo de combustível é astronómico e quem lá vive… é a isto que chamam de viver na terra prometida dos dementes e para os dementes.
23.30 horas. O meu vizinho chegou muito assustado porque um bandido com uma barra de ferro se preparava para lhe golpear quando ele estava a estacionar o carro, mas o vizinho arrancou com o carro e bazou. Desta safou-se. A táctica que agora os assaltantes utilizam é essa. Esperam que as pessoas estacionem os carros e depois nas calmas assaltam-nos.
04 de Outubro
Entretanto, o MR-Movimento Revolucionário, alastra-se. Brevemente estará em todas as províncias de Angola como uma peste negra benigna. Quanta mais repressão e tortura, mais o MR se fortalece, engrandece. Antes da independência também foi assim na luta contra o inimigo colonialista, esclavagista e opressor. Um poderoso inimigo que tombou.
Vocês sabiam que a nossa Net está tão louca, tão louca que enlouquece os nossos computadores?
Vocês sabiam que actualmente nos nossos ministérios os informáticos são todos brasileiros?
Dica: se estiverem com um computador portátil fixo numa secretária, coloquem-lhe por baixo qualquer coisa que o faça altear na base traseira para que o cooler respire convenientemente, não aqueça excessivamente, desligue o computador e danifique componentes.
05 de Outubro
Uma das leis de Ohm - físico alemão, Georg Simon Ohm (1787-1854) – diz que quando muito caudal de corrente eléctrica circula por um condutor, e a sua secção em milímetros é reduzida – repressão - a resistência aumenta.
Para pagar o pré-pago na EDEL é bicha, só uma pessoa a atender. Tanto tempo perdido desde a inauguração das bichas em 1975.
Segundo a Rádio Ecclesia, as mulheres no bairro Sambizanga renderam-se ao álcool, escolheram a nova vida do alcoolismo.
06 de Outubro
DESMANDOS
A Sua Ex.ª Comandante-em-chefe das FAA-Forças Armadas Angolanas, para que ordene ao general Ledi que cesse os desmandos que há mais de dez anos faz contra a população indefesa da área das traseiras da Pomobel, Zé Pirão, Luanda. Esta noite, 06 de Outubro, foi demais, ninguém dormiu com o barulho das obras no prédio dele que vai desabar porque tem três pilares só com areia.
Fiquei muito abalado quando um amigo me disse que quando anda pelas ruas de Luanda – nasceu em Luanda e nunca saiu de Angola - ouve a sabedoria, a única que têm os desprezíveis e miseráveis: «Mulato de merda, são vocês que estragam o país.» E ele acrescentou que quando menos andar pelas ruas, melhor. Fiquei muito pensativo, muito entristecido. E eu digo que isto está cada vez pior, assim a raça tende ao abandono, ao isolamento, ninguém lhes vai confiar, e assim terminarão como as tristes, trágicas tragédias de Lampeduza na Itália.
07 de Outubro
Luanda está invadida de espíritos.
As moças muito bonitas que vão nas discotecas, afinal são espíritos.
Um assaltante roubou o telemóvel de uma jovem e ela disse-lhe: «Moço, leva o meu telemóvel no cemitério do catorze, eu vivo lá.» Passados quinze dias o moço morreu.
A luz foi-se às 14.56 e voltou às 17.38 horas.
08 de Outubro
Já passa um pouco das vinte e duas horas. Algures em Luanda, o último taxista da noite recolhe meia dúzia de passageiros, os únicos que encontra, pois que andar à noite em Luanda é muito perigoso, é uma cidade fantasma. O taxista pisa no acelerador e parece não mais largar de lá o pé. O táxi não se move pelas ruas, parece voar. Os passageiros entram em pânico, não sabem qual é o destino que o taxista segue. Entretanto a velocidade não pára de aumentar, e o táxi continua a voar. Os passageiros olham aterrorizados para a paragem onde o taxista os conduz. Entra no cemitério, abre a porta do táxi e desaparece.
Ruas de Luanda inundadas sem chuva.
Além dos esgotos ao ar livre, a última informação que disponho de Luanda, é que andam a mexer muito nas terras para construírem/destruírem, sem a mínima noção do que fazem, e ao escavarem sai água, como se por baixo passasse um rio. Afinal, Luanda está infestada de lençóis freáticos que quando chover a sério - é só obras anárquicas, e se juntarmos a isto o derrube de árvores que desarboriza Luanda… um desastre ecológico em nome das negociatas do terrorismo imobiliário - será a maior desgraça da sua história. Recordo mais uma vez o que um mais velho me disse: «Não mexam nas terras, deixem-nas estar como estão, porque quando as chuvas chegarem será tudo arrastado.»
Bom-dia torturados da República das Torturas de Luanda. Quantos mais hoje serão torturados? Tantos, tantos, que ninguém os pode contar.
Qual é a utilidade do Ministério da Cultura? E o da Informação? E o do Ambiente?