sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Corrupção+alcoolismo+analfabetismo+fanatismo=famintos



República das torturas, das milícias, das demolições e das fraudes eleitorais
Diário da cidade dos leilões de escravos

Ano 2 A.A.A. Após o Apocalipse dos Angolanos.

Ó diabo! O TC, Tribunal Constitucional, indeferiu o requerimento da CASA-CE, onde requeria a sua transformação em partido político.
Afastem-se! Afastem-se! Abram alas! Deixem passar o circo da oposição.

“Angola sem dinheiro para actualizar contratos dos empreiteiros”. (Novo Jornal)

Nesta sociedade, no que dela resta, os assaltos tornaram-se uma vulgaridade que até já são considerados como se fizessem parte do dia-a-dia. Aceitam-se como uma instituição. Até já se fala em enviar militares para as ruas para combater os assaltantes, mas isso não resolve nada, mais parece uma guerra civil. No Cacuaco, Norte de Luanda, cidadãos oeste africanos fogem devido à onda de criminalidade. Com um país falido, que não investe no emprego nada há a fazer. È rezar para que não se seja o próximo a morrer.
Actue global na corrupção global. Actue global na lixeira global.
“Uma centelha alumia a chama, mas a vela só tem luz enquanto tiver pavio. As folhas caem da árvore uma vez por ano. A árvore continua a crescer forte e orgulhosa”. (Do filme Stargate)
Angola é lixeira dos outros países porque o que não presta vem parar aqui nesta grande lixeira.
Isto está a ficar porreiro está. A população está a regressar ao estado primitivo da selvajaria, sem dó nem piedade. Só se destrói vidas, é muito horroroso pensar no dia de amanhã. Estamos abandonados como num mar repleto de tubarões que nos devoram, se divertem em dilacerar as suas presas tingindo a água que fica vermelha de sangue.
Onde há corrupção epidémica, há miséria e fome, facilmente a epidemia da cólera se instala. Fica uma república de epidemias.
Onde há a mania de que governantes são super-homens, claro que dá super burricada, caos total e completo.

As confidências de Sindika Dokolo : "Não vejo ninguém mais competente e capaz do que a minha mulher (Isabel dos Santos) para pôr a Sonangol em ordem" (Novo Jornal)

“A bobina da corda é longa, mas o fim irá aparecer”. “No reino da esperança não há inverno”. (Provérbios russos.)

Do tempo passado só restam lembranças dos bons e maus momentos. Com muita saudade os bons momentos estão sempre presentes. Os maus são para afastar como se numa floresta assombrada fugíssemos de seres aterradores.  

A Unita diz que já não engole mais sapos. Presumo que agora esteja a engolir em seco.

Centenas de trabalhadores da função pública, em Luanda, não receberam o salário do mês de Dezembro. Outros apenas receberam 50%, devido à escassez da moeda nacional, o kwanza, revelou ao Novo Jornal uma fonte oficial.
Bruno Amaral: a vida na Banda é uma luta constante... Havias de ver o meu espanto quanto na Tuga me entregaram as 2 cópias de chaves em 2 minutos por 2 euros cada... Parecia parvo a olhar para o gaijo kkkkk Só quem cá vive entende o porquê.
“Seria, por isso, intelectualmente desonesto o mundo não reconhecer os angolanos como campeões mundiais do delírio! Senão - com recurso a um inevitável recuo a um tempo histórico - vejamos: logo depois da Independência inaugurámos uma padariazita - Kaxicane - e logo nos apressamos a catalogá-la como a maior panificadora de África! A seguir, fizemos da África Têxtil, em Benguela, um modelo fabril único no nosso continente, para anos depois acabar por ter um fim ruinoso”! (Gustavo Costa no Novo Jornal)