quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

21Nov-04Dez14. República das torturas, das milícias e das demolições





Diário da cidade dos leilões de escravos

21 de Novembro
“Nenhum Deus pode parar um homem com fome.” In série televisiva, Roma.
“Nenhum tesouro está seguro em seus cofres, quando um pai escuta o seu filho chorando de fome. (Plínio Marcos, (1935-1999.)
As quadrilhas governam Luanda e sob as ordens da tirania democrática aniquilam-nos. Como a quadrilha do banco millennium Angola na rua rei Katyavala que roubou o terreno e nele montou um gigante gerador que dia e noite mata-nos. No Poder da desgraça não nos podemos queixar porque como na Coreia do Norte a nossa vida é para acabar. S.O.S às organizações internacionais – as nacionais são do Poder – para que nos libertem. Escravizar este povo revoltado não dá porque explodirá e ninguém o segurará.
No dia 07 de Novembro, aqui na bwala o minimercado Ribral ardeu, não sobrou nada do recheio, um prejuízo do caraças. Como sempre a causa é a questão dos circuitos eléctricos. De lembrar que neste tempo do calor os potentes ares- condicionados – sempre exagerados – em carga e com as constantes oscilações da energia eléctrica que fazem aquecer os cabos é a principal causa dos incêndios nas instalações. Se não há o constante cuidado da manutenção dos equipamentos na verificação se os cabos, disjuntores e ligações estão de acordo com as normas habituais de serviço, é uma desgraça. De salientar que este minimercado gerido por portugueses é há muitos anos referência aqui na área. E mais: este minimercado faz-nos imensa falta pois que tem – tinha - praticamente tudo o que necessitávamos. Dizem que vai abrir no próximo dia 15 de Dezembro. Bem-hajam portugueses pois que aqui na bwala nós apreciamos imenso o vosso trabalho.
22 de Novembro
Ele disse-lhe que ela andava a fumar muito e também a beber muito. Ela esperou que ele fosse tomar banho e acompanhou-o. Ele perguntou-lhe se ela queria tomar banho com ele, ao que ela anuiu. De repente ela mostrou a faca que tinha escondido nas costas e encheu-o de facadas até à morte. Depois, já mais calma começou a chorar, a lamentar a morte do marido. Um vizinho disse que ela estava drogada.
23 de Novembro.
O esposo, capitão do exército, surrou a filha de dezoito anos, mas a esposa não gostou nada, repreendeu-o asperamente. Ele, surpreso disse-lhe que como pai tinha o direito de lhe dar educação. Mas ela muito exaltada gritou-lhe que os três filhos não eram dele, que ele não era o pai deles e que por isso mesmo ele não tinha o direito de lhes bater. Ele, muito pensativo disse-lhe que: «Aí é?! Já vais ver!» Foi no quarto, sacou a pistola da gaveta dirigiu-se para a sua família, disparou e matou os filhos e a esposa e de seguida acabou também com a sua vida.
24 de Novembro
O gatuno conseguiu enfiar-se em casa. A dona saiu e ele ficou muito à-vontade. Mais tarde o dono chegou e viu a mesa recheada com comida. Preparou-se para comer mas o gatuno salta do seu esconderijo e grita-lhe: «Ó senhor não coma isso porque está envenenado!» O dono da casa, estupefacto interroga-o: «Mas… quem é você, como conseguiu entrar?!» Depois o dono da casa levou alguma comida para análise e lá lhe confirmaram que a comida estava mesmo envenenada.
25 de Novembro
Para conhecer um país basta visitar um hospital e um cemitério.
Na realidade esta praça apenas tem jornalistas desportivos.
Se não tivesse a Rádio FMStéreo da Rádio Nacional de Angola que só transmite música, fugiria para uma rádio estrangeira, de preferência a BBC, RFI, Rádio Exterior de Espanha. A ver vamos!
26 de Novembro
Ó imã da miséria: a miséria é como tu, atrai mais miséria.
Como é muito lamentável que nesta cidade não exista ninguém que saiba resolver problemas.
27 de Novembro
Ainda e sempre sobre a péssima prestação do abastecimento de energia eléctrica à cidade dos escravos: há muita carga e o sistema eléctrico do outro sistema, antes socialista e agora e sempre anarquista, não suporta a carga devido à construção anárquica das torres e outros desastres da especulação imobiliária. Luanda e Angola definitivamente na Idade da Pedra, porque com a energia eléctrica tudo parece estar bem mas de repente vem a instabilidade, o caos. O curioso é que Luanda está permanentemente invadida por milhares de técnicos estrangeiros, portugueses são aos milhares, chineses também. Sem energia eléctrica o PIB da miséria sobe e o PIP-Produto Interno Bruto do Petróleo também. Viva a independência dos geradores e das quadrilhas da morte, da fome e da miséria. É que sem energia eléctrica a miséria atinge as profundidades do inferno. Na realidade o uso intensivo de geradores é um extermínio da raça, incluindo a nomenclatura, - claro que isto da nomenclatura é mentira - os estrangeiros e os seus filhos.
28 de Novembro
Depois de treze dias sem cortes – um incrível recorde – lembraram-se que assim não dá, não pode ser, então, zás! Das 07.47 até às 09.41 horas puseram-nos no sofrimento da energia eléctrica.
29 de Novembro
Um péssimo governo é como uma epidemia de ebola. Alastra até ficar incontrolável.
30 de Novembro
E para nos lembrarem que eles detêm o exclusivo do não fornecimento da energia eléctrica, e sempre com a necessidade de que há que vender geradores, lixaram-nos com mais um apagão das 16.51 até às 17.32 horas. Vivam as conquistas do socialismo eléctrico e do homem novo moribundo dos curto-circuitos.
01 de Dezembro
Pensei que depois da independência os países africanos sairiam da escravidão, que as populações livres viveriam bem, felizes. Afinal não, foi tudo ao contrário, estão de novo submetidos a outra cruel escravidão.
02 de Dezembro
Tumba! 08.20 horas, outra vez sem energia eléctrica.
Poluição religiosa: há poucos dias um arauto da Igreja Adventista do Sétimo Dia andou – costuma andar - aqui na rua com um megafone a despertar, obrigar os crentes de Satanás para irem na igreja para que as suas almas sejam salvas, quer dizer: cada partido político ou religioso com o seu programa de lixar as vidas dos seus eleitores. Poucos momentos de sossego nos deixam. Creio que no fundo a poluição religiosa é terrorismo religioso. E o corruptor de almas grita no megafone: «Ele está a chegar!»
03 de Dezembro
A energia eléctrica chegou às 05.20 horas, mas às 13.22 foi-se até às 13.39 horas.
O preço do barril está a 66.88 dólares… um desastre para quem vive exclusivamente do petróleo, quer dizer: não sabe fazer mais nada. Justino Pinto de Andrade escreveu no seu blogue, jpintodeandrade.blogspot.com: “Temos também que ficar atentos aos maus momentos que se avizinham para nós, pois o sector não mineral da nossa economia está ainda muito dependente dos resultados obtidos no sector petrolífero.”
04 de Dezembro
O Jornal Expansão na Net acabou definitivamente? Há duas semanas que não aparece nos ecrãs.
Às 10.41 horas. O barril do petróleo está a 67.38 dólares.
O PR José Eduardo dos Santos intervindo na abertura de mais um congresso do seu partido, - como sempre nada de novo - disse que temos que ter muito cuidado porque desde Junho que os preços do petróleo baixaram devido ao excesso da oferta e diminuição da procura. Quer dizer… estamos fritos, cozidos e assados.
Das 19.29 até às 20.16 horas fomos flagelados com mais um desgraçado corte de energia eléctrica.
APELO AO PR JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS. O banco millennium Angola na rua rei Katyavala roubou-nos o terreno e nele montou um gigante gerador que dia e noite nos mata com fumo venenoso. Não se justifica este crime horrível porque há energia eléctrica. Os moradores já se queixaram mas em vão. Já há anos que vivemos de janelas e portas fechadas. Apelamos para que V. Ex.ª ordene o fim imediato deste crime e que os culpados sejam enviados para a justiça e que os lesados recebam as devidas indemnizações.

Imagem: autor desconhecido