sábado, 4 de junho de 2016

ANGOLA VAI PARAR… JÁ PAROU



Angola vai parar
Já parou
Angola vai acabar
Já acabou

África o berço da fome, da desgraça
Da Angola dos últimos dias
Há muitos que riem com graça
Ao ver o povo nas enxovias

E nestas governanças
Das matanças
As bestas enchem as panças
E de nós não há lembranças

No dia da criança
A fome avança
A governação
Diz que não

Aqui vive-se às mil maravilhas
Cercados por quadrilhas
Das mascarilhas
Das camarilhas

Nesta república das torturas
Às farturas
De presos políticos nas agruras
Nas prisões que são sepulturas

Um país muito rico sem dinheiro
Porque a corrupção está primeiro
Sem justiceiro
À mercê de qualquer trapaceiro

Sob os constantes ataques das milícias
E de outras sevícias
A fome está presente
E o governo ausente

A negociata das demolições
Segue os trâmites das orientações
Tudo e todos para as prisões
Sem contemplações

As crianças sem futuro nesta podridão
A que alguns chamam nação
As crianças morrem de subnutrição
E a Igreja dá-lhes a extrema-unção

Angola vai parar, já parou
A corrupção tudo levou
A Igreja tudo abençoou
A Igreja tudo abandonou