segunda-feira, 6 de junho de 2016

O SUBMARINO ANGOLA (03)



“Como se pudesse matar o tempo sem lesar a eternidade.” (Henry David Thoreau. (1817-1862.)
O silêncio da oposição é a fortaleza da insensibilidade da ditadura.
Oh, como é horrível viver neste chiqueiro humano.
E já se constrói uma gigantesca jangada, melhor, outra arca de Noé, no rumo da Europa, essa pátria salvadora, da esperança de uma vida minimamente melhor, porque a África negra acabou.
QUADRO DE HONRA: Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges. Há sessenta e dois dias que aqui na zona do Zé Pirão, Ingombota, a energia eléctrica não teve nenhum corte.
“Estuda o teu inimigo se o quiseres derrotar.” (Mao Tse-Tung. (1893-1976)
“Cada cidadão é e deve sentir-se necessariamente um soldado.” (Agostinho Neto)
Oh, como me sinto felicíssimo em viver neste celeiro vazio.
Na realidade Luanda é como uma gigantesca prisão, porque o seu governador submete-nos ao estatuto de presidiários, e nada mais podemos exigir ou reclamar.
Aos quarenta anos de quarentena a que o poder nos submete: Na realidade estou-vos muito grato pela demonstração do vosso império intelectual.
A crise: “João Porfírio: Boa tarde. Preciso de contactos com urgência para transferências de dinheiro para Portugal. Obrigado”
Maria De Jesus Silveira:  “Continua uma vergonha e vejo que os Portugueses, ganham dinheiro á custa dos outros, viva a candonga.”
Precisa-se de um comandante para o submarino Angola. Os interessados devem contactar o submarino Angola algures no abismo económico em que Angola mergulhou.
A solução final do genocídio da Unita e do que resta da oposição? O genocídio da Unita e do habitual, infernal desenvolvimento dos acontecimentos, o último agora em Benguela, lá no Cubal, onde os deputados da Unita com o seu presidente do grupo parlamentar, Adalberto da Costa Júnior, e demais população da Unita que escaparam ao genocídio, foi accionado o plano da solução final, está em preparação o genocídio da Unita e demais oposição. O partido no poder pretende a todo o custo impor o comunismo ortodoxo, como sendo a principal exigência para o estabelecimento do seu aliado comunismo chinês? Serve os interesses e exigências do comunismo chinês? E a situação agrava-se de tal modo que Angola vai parar? Segundo a Rede Angola, mais de quarenta quilómetros de terras no Cunene foram esbulhadas, as populações estão entregues ao silêncio do genocídio da Igreja sem Deus, à milenar ditadura da religião que tudo faz para que as populações dependam da Igreja e pela vontade de Deus sejam escravizadas, espoliadas, esfomeadas. A desgraça de Angola e da África chama-se, IGREJA.

Um banco tem que facturar
Tem que nos matar
Tem que nos gasear
Tem que a lei pisar

A lei é muito clara e simples: quem trabalha em Angola tem que chacinar muangolés. Se a energia eléctrica está a funcionar normalmente, será que não pagam à ENDE?, é que não é a primeira vez que tal acontece. Banco millennium atlântico, mais um instrumento da morte ao serviço das ordens superiores. Então se esta gente comete um crime grave porque não se prende? Porque facturar para matar é uma actividade legal, e nós somos coisa ilegal.
O banco millennium, agora por força das circunstâncias de evitar falência, uniu-se ao atlântico e agora chama-se millennium atlântico. É apenas um banco das matanças angolanas porque há vários anos que instalou um potente gerador nas traseiras do prédio na rua Rei Katyavala, junto à Igreja Adventista do Sétimo Dia, espoliou o terreno, pois é pertença dos moradores do prédio, coisas do comunismo ainda vigente. É um crime ter um gerador industrial a funcionar nas traseiras de um prédio, coisa orquestrada por mercenários portugueses desses do vamos saquear Angola. Do saque sempre presente porque está tudo bem, este banco só obedece às ordens superiores que mandam aniquilar, assassinar as nossas vidas, as inocentes crianças brincam sem saberem que vão morrer asfixiadas. Mesmo com as janelas e portas fechadas sente-se o gás da morte de mais uma chacina patrocinada pelas tais ordens superiores. Isto não muda, não, está cada vez pior. O que interessa é facturar para matar.
Ó MUANGOLÉS!
Do alto desta pirâmide de caveiras, quarenta anos de chacinas vos contemplam.
Entretanto o banco millennim atlântico solidariza-se com as chacinas em Angola, chacinando os moradores dos prédios da rua rei Katyavala em Luanda. O seu gigantesco gerador é uma obra-prima da chacina. Por aqui ganhar dinheiro é chacinar, a população vai-se evaporar, assim será muito fácil governar, porque não há ninguém para chatear. Como se isso fosse possível, mas claro que não é, porque Angola vai parar. Ao que isto chegou, mas ainda será pior, muito pior. Aqueles que nos matam estão protegidos, impunes pela lei do poder. Não acredito que isto continue assim por muito tempo, porque a miséria e a fome não esperam, libertam-se.
E o submarino Angola prossegue na sua abismal desventura.