sábado, 9 de março de 2013

20 de Fevereiro a 1 de Março de 2013. Diário da cidade dos leilões de escravos




20 de Fevereiro
Não há dinheiro, há recessão, muito desemprego, futuro incerto, as economias contraem-se, mas há sempre dinheiro para pagar milhões de dólares ou euros pelo passe de um jogador. Mas que grande louca palhaçada.
Luanda. Nova Vida há quase mês e meio sem água conforme denuncia de, Amor de Fátima no Facebook
Água, água, água. Não vejo água nas torneiras da minha casa, aqui no Nova Vida há quase mês e meio. Dizem que saiu um pouquinho no sábado, mas ficou pelo r/c e 1º andar. Cá no 2º andar não vimos nadinha de nada. Haja incompetência!!!
Pedro Passos Coelho corrompe Camões:
Corrompendo venderei Portugal por toda a parte/ Se a tanto me ajudar a incompetência e a sua arte
21 de Fevereiro
Espoliaram-nos a luz às 06.30. E a energia eléctrica de brincar surgiu como uma fantasmagórica aparição às 16.53 horas. O desastre da luz tornou a desaparecer às 19.00 e reaparecer às 19.15 horas.
Os anárquicos cortes da energia eléctrica continuam. É nacional, é angolano e eu não gosto, esses apagões constantes são usados para lembrar a compra dos geradores das empresas dos proprietários de Angola. Já se fazem mais algumas encomendas de geradores. Afinal nesta república dos apagões também se factura muito bem com eles.
Apesar das últimas promessas, milhares delas, a energia eléctrica voltou ao sistema anárquico, quase todos os dias há cortes nesta anarquia absoluta.
Numa cidade, os geradores são para uma situação de emergência, e não para funcionamento permanente. Aqui dá-me para sorrir: então, o Ministério do Ambiente não se pronuncia sobre este crime de poluição porquê?
Porra! Mas o que é que uma pessoa faz sem energia eléctrica? Nada! Mas eles dizem que não, que assim é que é, que Angola está um dos países mais desenvolvidos de África, do mundo, isto apesar de as suas universidades serem das mais medíocres de África, e claro, do mundo. E se os idiotas, como esses, tomarem o poder em todo o mundo? Nem quero imaginar isso, mas penso que será como um desses filmes de terror real que nos mostram os horrores que nos aguardam. A democracia conseguiu moldar a idiotice dos eleitores, e é por isso que as democracias nunca nos serviram tantos idiotas como hoje.
Os bananas de Angola são o orgulho nacional. E no próximo ano vamos inovar e melhorar.
10.02 horas. Caçadores de escravos, fiscais do GPL – Governo da Província de Luanda, aproximam-se numa carrinha de caixa aberta. Só transporta o motorista e um acompanhante. Mas é o suficiente para que os escravos do quilombo se preparem para abortarem as suas actividades, isto é, debandarem. De olhos atentos e imbambas nas mãos, como os animais selvagens na selva, onde mais poderia ser?, quando os predadores caçam.
22 de Fevereiro
Roubaram-nos a energia eléctrica às 14.17 horas, e lembraram-se de a repor às 19.36.
Porque é que o OGE – Orçamento Geral do Estado, não contempla a conta, Dotação para Apoio a Escravos? E também, porque é que só contempla exaustivamente rubricas, Dotações para os Chicotes dos Senhores dos Escravos?
23 de Fevereiro
E lá estão os empregados da Teixeira Duarte Angola, a lavarem na via pública os filtros dos ares-condicionados do banco millennium Angola na agência da rua Rei Katyavala. E próximo os fiscais do GPL a perseguirem os escravos e escravas que poisam na mesma rua, perseguem-nos, assaltam-nos, espoliam-nos desordenadamente. É que o banco millennium Angola é do petróleo e os escravos são para caçar como os ratos. Só o que é do petróleo tem valor, o resto, o povo, não!
23.51 horas. Ouve-se fogo-de-artifício. Comemoração dos dois biliões de dólares da mana Isabel dos Santos, como a mulher mais rica de África no país mais miserável do mundo com uma população escrava?
24 de Fevereiro
Quantas jovens angolanas no desespero de um emprego, hoje fizeram o teste do sofá?
25 de Fevereiro
00.02 horas. Ouvem-se quatro tiros, mais um assalto?
26 de Fevereiro 14.57 horas, em frente à ANGOP. Forças especiais dos fiscais do GPL – Governo da Província de Luanda, Ingombota, atacaram violenta e selvaticamente escravas vendedoras de rua. A uma desgraçada escrava de meia-idade arrancaram-lhe os parcos haveres com tal selvajaria que os transeuntes gritaram, rodearam os homens do “terror nas ruas” muito exaltados, tipo linchamento público. A coisa já ia para o pior e os fiscais gatunos conseguiram fugir na sua viatura, enquanto a escrava espoliada gritava com as mãos na cabeça, pois atingiu o zero. A síndroma Mayombe/Cacuaco dissemina-se nesta cidade do quilombo de Luanda.
21.33 horas. Forte tempestade abate-se sobre Luanda. Rajadas de vento que são, pode-se dizer, ciclónicas. Algumas chapas voam dos terraços dos prédios e similares. Aqui, o meu pensamento voa para os esfarrapados escravos do Mayombe/Cacuaco, vítimas da maldição do petróleo, apenas porque tiveram o azar de nascerem angolanos. E AS CRIANÇAS!? Que será delas?! Entretanto, nos gabinetes e palácios tétricos luxuosos do petróleo, festejam-se os lucros, a abastança dos senhores dos escravos, enquanto os miseráveis choram à espera que lhes levem algo, pois a única coisa que resta aos escravos angolanos é o viverem na companhia de serpentes. ESCRAVOS ANGOLANOS UNI-VOS! LIBERTAI-VOS!
27 de Fevereiro
Não me façam rir! Na Rádio Ecclesia, a assessora do presidente da República, não lhe consegui apanhar o nome nem a função, na sua visita ao Kwanza-Sul, mostrou-se muito preocupada com o estado degradante das estruturas.
É que não é necessário ir tão longe para chegar a essa conclusão, basta sair da presidência da República e logo se vê a degradação estrutural reinante.
Outra dúvida me acaba de assaltar: para atingir a paz social nós necessitamos de mudar as nossas mentalidades, ou mudar de Governo?
E dizem os governantes como se de uma coisa muito importante se tratasse: esta visita permitiu-me conhecer as dificuldades que vive esta província. Quer dizer que eles não sabem o que se passa no país, e só tomam conhecimento quando saem dos palácios governamentais uma vez em quarenta anos.
Pois é, o número dos opressores mantêm-se, e o dos escravos aumenta a todo o momento. De modos que, os opressores serão insuficientes para travar a revolta das multidões de escravos.
28 de Fevereiro
Um partido político ou uma caterva de coligação de partidos, não têm o direito de destruir um país, um povo, uma nação, a economia, tudo de rastos. Mas como todos sabemos, têm esse vil direito, e não existem leis que os levem aos calabouços.
01 de Março
17 horas e vinte e dois minutos. O bebé, meu neto com dez meses, aponta para o céu, olho e vejo um objecto a cair desgovernado na direcção do Porto de Luanda, ou mais para além. É de cor branca, parece um pára-quedas mas não, um balão, também não, passam-se dois ou três segundos e desaparece. Ia em queda livre, fiquei sem saber do que se tratava.
A NET está louca, desordenada, descontrolada. Mas que cancro, que coloca tudo e todos em estado terminal.
Quanto mais sonoras as sirenes das escoltas são, mais nos lembramos da miséria da população.
Uma só pessoa pode estar contra tudo e todos? Uma nação é constituída por famílias, ou só por uma? Um Estado é de todos, ou só de uma pessoa? Num Estado destes, os bancos aparecem e são os nossos piores inimigos, pois por detrás deles estão sempre as mesmas malditas mandíbulas, que até o capim seco devoram. Até que ponto chegará, terminará tão desmesurada maldade? Veremos! Que Deus me livre de Deus.
E não há nenhuma diferença entre uma igreja e um banco, porque ambos angariam depositantes de verbas monetárias.
O mundo é uma selvajaria e terrorismo globais.
A democracia está tão corrompida, tão corrompida que até os políticos dizem que isso não passa de invenções, de calúnias.