sexta-feira, 22 de março de 2013

FRASES CÉLEBRES. OS ALDRABÕES SÃO COMO CICLONES




Para eles, os aldrabões, centralidades petrolíferas. Para nós, os escravos, chapas de zinco.
Porque será que quando um aldrabão/corrupto, quando acossado logo se defende, sempre com o mesmo plágio: «Isso é calúnia, injúrias, e como ferem o meu bom nome, repúdio tudo em nome da corrupção.»
“Só há uma coisa a lembrar a respeito de África. Hoje, a liberdade é só uma palavra que define um novo opressor. Sim, toda a gente nos utiliza, armando grupos contra grupos, destruindo África. A nossa nova liberdade é um novo nome para a sua nova escravidão. E o último banho de sangue será primeiro entre brancos e negros, e depois entre negros e negros, quando o branco abandonar África. Vivem da ajuda estrangeira, roubando a vossa própria gente. Choram pela opressão exterior enquanto se matam uns aos outros aos montes. Devemos aprender a cuidar uns dos outros, ou nada restará da nossa África, senão um imenso campo de batalha.”
In The Wild Geese, 1978. Filme com título traduzido: Os Gansos Selvagens.
Há prelados aldrabões que utilizam a religião como se fosse peixe podre.
Quer ser um empresário aldrabão de sucesso? Um prelado aldrabão de sucesso em Angola? É muito fácil! Basta apoiar a corrupção.
Judas vendeu-se por alguns dinheiros. Alguns dos nossos prelados vendem-se por alguns barris de petróleo.
Não percam o episódio de hoje da eterna comédia, OS ALDRABÕES. Que acontecerá no episódio de hoje? Será que a cidade de Luanda vai explodir? É imperdível, sobretudo pela actuação dos exímios actores em cena.
Torna-se impossível conceber que três partidos políticos, CASA-CE, UNITA e PRS, que entregaram as suas reclamações de factos irrefutáveis, como por exemplo, a campanha eleitoral nos órgãos estatais e outros privados mas pertencentes ao regime, igrejas da maiuia e seus prelados, na CNE, que considerou as reclamações de má-fé. É como por exemplo, dirigir-me ao meu banco onde tenho uma conta - que não tenho, a miséria do senhor dos escravos assola-me - bancária, detecto-lhe anomalias, movimentos estranhos, e o gerente peremptoriamente sentenciar-me que estou a usar de má-fé e que os movimentos na minha conta estão correctos, quando na verdade estamos na presença de uma fraude bancária dos aldrabões.
Defraudam-se milhões de eleitores e fica tudo normal, sem problemas. Cinco anos a governarem, a aldrabarem na fraude e corrupção sem que haja ninguém que diga não? Não é, não será possível.
«Quando exploras demais um abismo, o abismo também te explorará». Friedrich Nietzsche. 1844-1900.
O Totalitário foi um sonho, agora é o nosso pior pesadelo. Ainda nos restam algumas forças para finalmente nos libertarmos?! Sendo a morte certa, não se compreende o porquê de tanta maldade que alguns seres humanos praticam em vida. Está doutrinado que os milhões de dólares espoliados transformam em deuses, logo em imortais, os seus possuidores. Assim governam-nos eternamente convencidos das suas imortalidades.
Há eleitores que por mais que honestamente votem, o partido das fraudes é sempre o vencedor das eleições.
O reino de Deus parece estar tão podre, tão podre, que o seu cheiro já não se sente, pressente-se.
Creio que Deus está moribundo, e os prelados sem Ele solidificam as igrejas da demonização.
Podem fazer da nova fraude da divisão administrativa de Angola o que quiserem. Não é isso que resolve o mar de miséria vigente. Se até agora nunca resolveram nada a contento das populações. Essa divisão é para melhor rechear as mesadas deles, pois Angola é um condomínio pessoal. E a história moderna de Angola é a história de um feudo, a coroação de um rei.
Pergunta indiscreta: Aparenta estar bem vestido. Fuma que nem um desalmado, fala muito, muito. Bebe muito café e muita cerveja. Anda muito rápido, tipo maratona. Passa o tempo a falar de futebol e comporta-se como um cigano? De quem se trata?
E este quem é?
Bebe sem parar. É mais barulhento que o barulho. Está sempre rodeado de lixo. Tem muitos filhos e muitas mulheres. Fala muito, muito, mas não resolve nada. Agora imita os chineses, trabalha todos os dias, e diz: «Amanhã sem falta resolvo isto.» Ou: «Amanhã telefono, amanhã passo aí. Não, não me vou esquecer! É pá, desculpa, esqueci-me!» À sua volta reina a promiscuidade alimentada pelo exército da corrupção?
A maldição do petróleo canaliza um mar de dólares para os seus proprietários, que de pobres passaram de imediato à cátedra de novos-ricos. E é por isso que temos governantes muito inteligentes.
Um regime leninista caracteriza-se pela repressão sem limites sobre as populações, que passam a propriedade privada e gado humano para estrangeiros.
Há governantes que ficam no poder apenas para nos demonstrarem que são incompetentes, corruptos e fraudulentos. Assim como uma espécie de negação humana. E o tempo vai passando e a revolta se vai acentuando.
Não é apenas nas casas da cidade fantasma que os preços estão elevados, como disse o PR, na generalidade os preços estão desgovernados. Por exemplo, o supermercado Kero, está a praticar preços baixos para rebentar com a concorrência, pois obriga-a a baixar os preços, mas isto tem uma intenção, que é a de ficar com o monopólio do mercado, é o tal dumping. Depois eleva os preços, e claro que depois é só lucros, pois a concorrência não aguentou a pressão de rebentar.
Camarada governador comissário político de Luanda: porque é com discursos políticos gastos, velhos, cansados que se decide o quotidiano irreal de uma cidade que se parece muito com um ferro-velho, destroços, numa lixeira. Partidarizar é destruir.
Esta está o máximo: então, eu trabalho para o Estado sob contracto, e lá está escrito que ganharei mensalmente, por exemplo, o equivalente a quinhentos dólares. Passam três meses, quatro, e finalmente o Estado decide-se a pagar-me, mas com o equivalente a quatrocentos dólares mensais porque houve um erro no contrato.
Oiço amiúde a publicidade sobre a lei dos crimes informáticos, onde governantes e causídicos fazem palestras, onde mais advertem sobre a tipificação da criação de imagens informáticas, onde ainda se reflectem a injúria e a difamação contra os nossos governantes. Na lei sobre os crimes informáticos não se contempla a luta contra a corrupção?  
Ao nascermos enfrentamos um mundo, onde viver e sobreviver é o milagre da nossa luta diária.
Isto está entregue aos bichos, e nos bichos ficará?
Impressiona-me a tentativa da invasão de empresas estrangeiras que pretendem vender o que já há muito se vende. Como se Luanda fosse um vasto mercado. A CEAST, no seu último “conselho consultivo” analisou todas as desgraças de Angola, com destaque para a religião da feitiçaria. Mas omitiu a corrupção e a fraude eleitoral.
Enquanto os colonos governarem Luanda/Angola, os momentos diários serão de grande aflição, sem solução para as nossas vistas. E onde há colonos, há despotismo, a imposição da cultura estrangeira, do colonizador, e isso origina revolta, libertação da opressão e espoliação estrangeira.
O cristianismo será absorvido pelo islamismo?
Este petróleo é para uso exclusivo dos palácios reais. E também para uso exclusivo da plebe do trabalho escravo, que até a sobrevivência da venda de bugigangas nas ruas enxurradas de miséria, até isso lhes é negado, porque as forças ao serviço do petróleo usam-lhes tenaz perseguição.
Esta santa terra está odiada de escravatura. E mais um alto dignitário de uma abastada corte estrangeira chegou, para mais um leilão nesta terra de escravos abençoada. E o senhor dos escravos vendeu mais um lote de escravos da sua fazenda Angola. E houve do deus dos egrégios mais festa, e em todas as igrejas que nada têm a ver com religião. Um escravo foi muito bem chicoteado, perante os aplausos dos convidados. E antes o senhor dos escravos ordenara a ligação especial, uma espécie de Natal, da energia eléctrica durante o período festivo.
Este petróleo está imundo, reina, cheira, tresanda a escravatura.
E a festa progredia, merecia, e houve o brindar, o despejar, o beber copos bem atestados de petróleo.
El-Rei, o senhor dos escravos tem super geradores instalados no palácio real, e os que nem direito têm a verem a cor do petróleo, usam velas, porque geradores só quem se rende à bajulação e à corrupção do seu santo poder.
Imagem: makaangola