domingo, 1 de novembro de 2015

Luanda. Banco millennium na rua Rei Katyavala na bancarrota?


Foto: o gerador da república das chacinas de Angola, instalado por mercenários portugueses para nos chacinarem.

Magister dixit. Disse-o o mestre.
Fórmula dogmática dos escolásticos da Idade Média, quando citavam a opinião do mestre (Aristóteles). Hoje emprega-se ironicamente em relação a qualquer chefe de escola, de partido, etc. diz-se também ipse dixit (em grego: Autos ephe).

Há quatro dias, desde 29 de Novembro de 2015, que o banco millennium na rua Rei Katyavala está com o seu gerador ligado dia e noite, porque não paga as contas à empresa distribuidora de electricidade, conforme nos foi revelado por fonte fidedigna e que não podemos citar o nome porque senão, coitada da fonte, vai para o inventário dos chacinados. Daqui facilmente se presume que este banco está na bancarrota. Nas traseiras dos prédios onde se instalou, roubou o terreno, - é isso, só sabem roubar, não sabem fazer mais nada, se soubessem esta merda não estaria na miséria terrível - temos que fechar janelas e portas. As crianças correm grave perigo de morte. Portugueses mercenários que instalaram o gerador e lhe fazem manutenção estão por trás deste crime hediondo nesta já famosa república das chacinas de Angola. Estamos perante a agonia de um sistema de governo que desemboca numa tempestuosa avalanche humana. Este regime está a dizer-nos adeus e até lá é saquear, nos eliminar e nos abandonar como miseráveis pedintes. Em Angola não há angolanos, só há estrangeiros e governantes.
Esta é a cidade dos malditos!