sábado, 7 de novembro de 2015

O Cavaleiro Luaty e Mana Laurinda na Demanda da Santa Corrupção (04)



Etiam periere ruínas. As próprias ruínas pereceram. Frase eloquente de Lucano (Farsália, IX, 969), narrando a visita de César às ruínas de Tróia. Exprime a desolação de uma ruína absoluta.
O ordens superiores, mais conhecido por CAOS, Corruptos Angolanos Organizados em Sociedades, tenta iludir o nosso herói com os golpes baixos de quem sente o poder fugir-lhe das mãos, e como tal invectiva com a única arma que tem, o terror. Nada melhor, pior que o CAOS para nos traçar, rasgar os tecidos da nossas almas, que mesmo sabendo que o seu fim está muito próximo, mas mesmo assim age como se tudo estivesse na mais plena normalidade. As ditaduras numa demoníaca democracia que antes era a democracia do proletariado, e que depois de um momento para o outro se auto-proclamam de democracias inundadas de presos políticos destapam o seu anterior túmulo para a ele voltar. Claro que o CAOS trazia muito veneno na sua língua comprida:
- Ó meu valoroso cavaleiro Luaty, estou aqui para te saudar, para te venerar. Trago os melhores cumprimentos do meu partido, da Igreja nossa grande amiga, dos nossos milhões de militantes, de todos os nossos comités de especialidade e sobretudo do nosso querido líder, o ordena em tudo, o nosso Grande Inquisidor.  
O CAOS fez uma breve pausa para recarregar a sua língua e a sua boca de veneno, e como a mais impura de todas as coisas acrescentou.
- Cavaleiro Luaty, desculpa que te diga, mas és mesmo um grande especialista na parvoíce. Então, vê só… trago duas malas com dois milhões de dólares para te oferecer. E se achares que é pouco podemos reforçar a verba. Como muito bem adubas, dinheiro para nós não constitui problema. Estamos cheios disso por todos os lados. Então… aceitas, não é? Eu já sei como essas coisas são. Isso de ser revolucionário é como nós, só tomba da boca para fora. Tu e os teus o que querem é dinheiro não é?
Apesar de algumas torturas iniciadas, ensaiadas para o aterrorizar, Luaty respondeu-lhe com firmeza:
- Enquanto o vosso governo de quarenta anos não prender pelo menos um dos seus elementos do seu exército de corruptos, tudo o que ele disser ou fizer, não passam de corruptas mentiras, e como tal não se deve acreditar, porque citando António Aleixo: Coitado do mentiroso/ mente uma vez mente sempre/ e ainda que fale verdade/ todos dizem que mente.
O CAOS veio com o caos, aliás outra coisa não seria de esperar.
- Olha, vamos matá-los todos com o engenho das nossas torturas. Vocês dão-me imensa pena porque não sabem com quem se metem. Nós há muito que estamos normalizados no abate de coisas incómodas como vós.
Entretanto, o CAOS em grande destaque: Luis Lucas: Alguém consegue confirmar esta informação? "Aviso de banco em AO: Informo a todos que a partir de amanhã 1/11/15, os Estados Unidos da América deixarão de vender USD (dólares em notas) ao BNA e por conseguinte este a todos os Bancos comerciais de Angola, após uma auditoria e não se verificar o cumprimento das normas internacionais exigidas pelos Estados Unidos no uso da sua moeda. Apenas se usará o USD como moeda de referência para transacções e pagamentos bancários. Agora quando quiser viajar já não terá USD para levar em mão, apenas outras moedas."
Marco Santinhos:  Esta notícia refere-se apenas a nota (físico) e não a transferências e pagamentos bancários. Hoje já foram reduzidos os valores permitidos para levantamentos em USD, nos balcões do BFA. São agora 1500 USD para cada viagem.
Andre Cassio.  No BPC até limite de levantamento de kwanzas existe....
O CAOS move-se: Informação digna de confiança diz que a DNIC, Direcção Nacional de Investigação Criminal, está a entrar nas casas dos senês, (senegaleses) e asiáticos e apanha-lhes sacos cheios com dólares, euros e kwanzas. Há choros e desmaios.
Mais entretanto: Durante pouco tempo o banco millennium na rua rei Katyavala em Luanda iludiu-nos com o seu gerador, dando a entender que deixou de nos matar com o seu fumo mortal. Agora é todos os dias. E não se compreende como é que estando a energia eléctrica restabelecida, esse banco homicida está com o gerador ligado. Ele quer chacinar-nos. As portas e janelas das nossas casas estão fechadas, mas mesmo assim o fumo da morte invade-nos. Dentro das nossas casas sente-se o odor da morte na respiração. Já uma criança de três anos no quinto andar apanhou pneumonia. O terreno nas traseiras do prédio foi-nos roubado. E não nos podemos queixar senão seremos acusados de conspiração contra o estado angolano e o seu presidente. Esta obra deve-se ao génio português corrupto que tudo faz para nos chacinar, porque cumprem as ordens do CAOS para nos matarem. Os jovens presos políticos continuam na prisão e esses fdp dos portugueses e os que lhes pagam para nos matarem estão em liberdade. Não brinquem com a vida das pessoas, porque o fim avista-se e como tal há que sacar. Matar! Matar! Banco do petróleo não é banco, é corrupto! É banco da morte!
Como é que em plena bancarrota, um banco se permite esbanjar dinheiro em combustível, com a rede eléctrica restabelecida. Essa gerência deveria ser de imediato despedida. Mas não, preferem o desaire da revolução que já lhes bate nas portas e que depois por mais que tentem não as conseguirão fechar.
Banco millennium Angola, agência da rua Rei Katyavala, junto ao Largo Zé Pirão, Luanda. Um banco da chacina do Monte Sumi. 
É a máquina da morte dos mercenários portugueses contratados para nos matarem. Não posso, ninguém pode, dormir no meu quarto porque se o fizer morrerei gaseado tal como nos campos de concentração nazis. Os portugueses que criaram tal máquina da morte também matam os seus conterrâneos e os seus coitados filhos ainda de tenra idade. Matar, só sabem é matar para algumas sobras do petróleo amealhar! A lei da morte é a que prevalece anunciando o apocalipse do não se sabe quem dele se safará.
O M está muito desorientado, muito amalucado, muito descomandado. Então, não é que lhe deu um ataque de pânico e desconfiando de tudo e de todos decidiu passar a fio de espada todos os que por ele lutaram. Assim, enviou o seu recente agente exterminador, o banco millenium chacinar os moradores dos prédios, quer sejam ou não do M são para abater. Ser ou não ser do M tanto faz, é tudo para chacinar. O M quer ficar sozinho? Depois vai contratar mais mercenários portugueses e chineses, e mais escumalha de estrangeiros pata o defender? Este M não está bom, temos que o salvar antes que seja demasiado tarde… mas de facto já o é, já não tem salvação, nem a Igreja o salva de tão encharcada de corrupção que está, que não se consegue mover É verdade! Quando a Igreja se atola até à cabeça na corrupção, já está perdida, sem salvação. O M e a Igreja fizeram o CAOS de Angola e agora, qual será o outro homem novo? Não o haverá, porque nem nas ruínas ninguém o encontrará.

E eis que surge como que vindo das sombras da morte, com o rosto cadavérico e com a morte, claro, nele estampada, o comité de especialidade das milícias das barras de ferro. Teme-se o pior para o nosso herói porque decerto dar-lhe-ão surra na cabeça com as barras de ferro para acabarem com ele de vez. Que macabra democracia esta cujos argumentos dos seus azémolas intelectos são os das barras de ferro. 

Imagem. autor desconhecido