quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Diário da cidade dos leilões de escravos. De 18 A 27 de Janeiro de 2013




18 de Janeiro
A Europa abandonou a África à sua sorte, e de preferência impôs-lhe ditadores seus amigos que espoliam as riquezas das populações para lhes proporcionarem investimentos de lucros fáceis, e quando as coisas não lhes correm de feição, insurreições terroristas devido ao desprezo para com os africanos, quando sentem que os seus interesses estão a ir por água abaixo, a título de ajuda enviam caças-bombardeiros, e que assim continuarão por muito, muito mais tempo.
Corruptos mundiais! Bem-vindos a Luanda! A quadrilha nacional da corrupção espera-vos no eldorado do enriquecimento imediato. Escravos e especialmente escravas não vos faltarão, vos inundarão de sexo fácil, de borla. És pedófilo? Estás à vontade. O petróleo está centrado no crime globalizado. E tem milhares de igrejas e milhões de miseráveis, os tais terroristas internacionais. E sobretudo depositem os vossos rendimentos da ilicitude do petróleo no banco que há muitos, muitos dias gaseia crianças, o banco millennium Angola.
Uma República de “idiotas” fissurados. Porra! Já chateia! Hospital de Malanje e povo angolano fissurados. “Nalguns compartimentos já estão a deitar água, portanto, entra água, algumas dificuldades entre a tecnologia que foi colocada aqui no hospital de origem chinesa e há alguma dificuldade na feitura da leitura dessa tecnologia”, confirmou o governador, informado que técnicos do Ministério da Saúde já estão em Malanje para tentar aproximar os especialistas e a tecnologia.” In VOA
19 de Janeiro
É que o Minoritário UPPC - Um Pouco de Paciência e Compreensão, onde as suas forças chegam - isto é, os seus partidários locais e internacionais, por exemplo, os chineses - na verdade portam-se como milícias, porque ainda mantêm o estatuto de 1975 – ameaçam, destroem, escravizam e obrigam-nos à miséria, à fome, ao desprezo, pois quando passam por nós, os pobres combatentes abandonados, do petróleo e das terras espoliados, não nos cumprimentam, porque o petróleo é deles e só para eles. Nós apenas gozamos do estatuto dos campos de concentração nazis.
Não acredito, é completamente impossível que isto se mantenha por mais tempo. A corda estica, estica, estica…
E com a actuação das forças de segurança na Argélia, onde estupefacto com o banho de sangue de trabalhadores estrangeiros e terroristas, posso considerar que entrámos no terrorismo global, isto é, os terroristas matam e os governos também. Magnifico panorama civilizacional que nos espera. Por este andar não poderemos sair de casa, trabalhar em locais afastados, como expatriados, porque não sabemos quem nos vai liquidar: se os terroristas internacionais, ou os locais/governamentais.
Mas o Hollande sabe mesmo onde fica a África? Esta África que já nada tem dos anos sessenta, excepto na miséria colonial das ditaduras apoiadas que permanecem à colonial Ocidental. Então, no lugar de desenvolvimento económico e social enviam aviões para bombardeamentos? Lutar contra o terrorismo? Ou não será exportar o “terrorismo” Ocidental? Mas o Ocidente não vê que isso já não dá, já não pega, está ultrapassado? O que a África deseja é o fim dos seus ditadores, e quer professores para as suas escolas e universidades. Que eu saiba, até agora no Mali isso não aconteceu. Os aviões só transportam armas, munições, mas bem-estar não, porque população mundial é só a do Ocidente, os outros povos não, porque são escravos ainda não alforriados.
Oh! Como eles adoram Iraques, Afeganistões, e agora África, neste momento o maior erro da história Ocidental, porque é bem simples: sob o pretexto de uma intervenção contra o terrorismo, na realidade é uma nova espoliação, divisão e escravidão que se põem em marcha. Só os incautos não se apercebem disso, como sempre.
"França-Mali. "França seguirá no Mali o tempo que seja necessário para que o terrorismo seja derrotado" nesta parte de África, disse hoje o presidente François Hollande em Tulle, informa France Presse" ELPAÍS
Com isto tudo, só lamento, surpreende-me, que ainda o Ocidente considere que a África, e os africanos, ainda é o continente onde só vivem macacos, como a nostalgia do Tarzan, o Homem-macaco. Quer dizer, a África não evoluiu, nunca evoluirá, porque apenas se prestará aos desejos neocoloniais das potências esclavagistas.
A África é o campo de escravos mundial devidamente legalizado, onde as potências se abastecem da mão-de-obra escrava. Não é fácil imaginar os milhões de dólares que as empresas estrangeiras facturam mensalmente, enquanto o escravo africano para conseguir um pão ainda se arrisca à morte, como as zungueiras em Luanda, e por toda a Angola. É isto a África, antes com o chicote branco, agora com o chicote negro, o que não faz diferença, porque chicoteia tal como o branco e o negro.
20 de Janeiro
Saldos de escravos: Amigo leitor, quer comprar um escravo? Dirija-se a uma dos milhares de agências do UPPC – Um Pouco de Paciência e Compreensão, disseminadas por Angola. Aproveite esta campanha especial em saudação à inauguração de mais uma descoberta de um poço de petróleo.
21 de Janeiro
Os três geradores gigantescos do edifício do ex/ministro das finanças, José Pedro de Morais, junto ao Largo Zé Pirão, e mais outros dos outros edifícios do OGP – Orçamento Geral Pessoal, quem é que consegue lá viver se nessas áreas se respira fumo mortal. Está mais que provado que provoca cancro. Grandes otários que gastam a ilicitude do OGP em vão.
22 de Janeiro
Os fiscais do GPL – Governo da Província de Luanda, mudaram de táctica, isto é, de farda. Assim torna-se extremamente fácil emboscar e saquear os miseráveis sem petróleo que tentam ganhar uns desgraçados kwanzas, estacionados nos passeios das ruas, se é que em Luanda existem ruas, só de nome. Está tudo esburacado porque aqui caem muitos meteoritos, não sabiam, não é?!
23 de Janeiro
Um mwangolé mestiço tinha doze mulheres, faleceu, e a família foi em casa da mulher com quem ele vivia, melhor dito, com quem passava mais o tempo. Exigiram que ela entregasse o dinheiro dele. Ela recusou porque ele não tinha dinheiro. Fizeram-lhe a exigência para ela devolver o dinheiro que ele tinha no banco, afinal também não havia nada. Então, carregaram com tudo o que ela tinha em casa, que ficou despida, obviamente.
A energia eléctrica estacionou às 10.04 horas.
24 de Janeiro
Há mais de duas mil igrejas em Angola. Cristo é só um, igrejas são aos milhões com cada sacerdote eleito por um deus inventor do seu cristianismo. Em cada rua e em cada esquina uma igreja. Há mais igrejas que escolas, até parece que já ultrapassaram as cantinas. Creio que este cristianismo é a religião mais corrompida. O analfabetismo de um país vê-se pelo número de igrejas que nele se instalam. Quanta mais corrupção mais enxames de igrejas nos atacarão. Um país assim não tem futuro, pudera, com tantas vespas soltas.
25 de Janeiro
Apagaram a energia eléctrica às 00.49 e acenderam-na às 04.14 horas.
26 de  Janeiro
Lá se foi a miserável luz deles, às 16.43 horas. Ligaram-na às 17.18.
27 de Janeiro
Ouvem-se vários disparos, cerca de doze. São 02.20 horas da manhã. Será um segurança bêbado? Um bruto tiroteio? Os disparos param, mas regressam. Porra! Deve ser uma bruta confrontação, mas entre quem? Entre eles, isto é do Poder? Bom, estico a cabeça, com receio de lavar um tiro, pois os disparos estão bem próximos, afinal… é fogo-de-artifício. Isso mesmo! Fogo-de-artifício!!! Esta merda está uma incrível selvajaria, pois quem faz isso é um deles, do partido UPPC – Um Pouco de Paciência e Compreensão. Caramba! Por aqui podem ver para onde isto caminha. Para o desastre mais que anunciado, para a tragédia também já anunciada a que ninguém liga, deixa andar. A insegurança aumenta, quem a controla? Ninguém, é vidente, então o abismo não atrai o abismo?
Outra vez, mais outra vez, sempre outra vez, mais um apagão às 16.36 horas. Foi por pouco tempo, a luz voltou às 16.51 horas.
Hoje ficámos sem água.

A foto é de um ataque terrorista, desalojamento forçado, de uma idosa escrava no município do Cacuaco, Luanda, Angola. Foto: de Ermelinda Freitas.