domingo, 19 de maio de 2013

10 A 16 de Maio de 2013. Diário da cidade dos leilões de escravos




10 de Maio
Dicionário mwangolé
Sacerdote. Aquele que inventa coisas sobre Jesus e Deus e que os crentes acreditam.
Fundamentalismo angolano. Sistema político-social que se caracteriza pela ausência de água e energia eléctrica.


"Jornal de Angola. Jornal que escreve tudo, mas sobre Angola não escreve nada.
De mais de mil empresas sociedades anónimas, apenas sete por cento apresentam contas. Isto ouvi na LAC.
A luz mandou-nos passear às 10.06 horas.
O problema do ser humano é que ele vive continuamente em revolução, e isso torna-o muito instável.
11 de Maio
Aí pelas vinte e uma horas. Mais de uma dúzia de jovens montados, em motas movimentados, vão em ar de festa, a comemorar qualquer coisa e vão gritando: Viva a putaria!!!
A jovem conseguiu um carro, mas passados poucos dias vê escrito, riscado na chaparia da porta do lado esquerdo bem visível, PUTA. Ela envergonhada gastou vinte mil kwanzas na pintura para retirar o palavrão. Mas passados poucos dias lá estava outra vez escrito no mesmo local, PUTA.
Depois de vinte e oito horas, o Poder lá restabeleceu a energia eléctrica às 14.11 horas.
Porque é que alguns jovens de vez em quando aparecem fardados de polícias? Mas eles não são polícias.
O vizinho do terceiro esquerdo mandou partir paredes, ou algo parecido no seu apartamento.
Mais um apagão das 22.39 às 23.29 horas.
12 de Maio
A nossa vida consiste sempre em lutar contra criminosos, assassinos e gatunos.
A jovem há muito que estava contaminada com Sida. Mas conseguiu arranjar um marido também jovem. Ela tinha uma casa da mãe e lá viveram, e com a Sida filhos nasceram. O marido não sabia de nada, ela nunca lho disse, também se lhe dissesse ele não a quereria, lhe desprezaria. Mas ele não se sentia bem e depois de um exame médico descobriu. Dizem que morreu mais do desgosto do que da Sida. Ela no acto do funeral teve que fugir, pois queriam-lhe surrar até lhe matar. 
Entretanto um senhor com cinquenta anos de idade estava muito bem, de repente vieram-lhe dores de cabeça e faleceu.
Não sei se amanhã teremos luz, água e internet.
Cerca das vinte e duas horas avistam-se dois polícias da PIR – Polícia de Intervenção Rápida, a pé, na rua, em serviço de patrulha.
13 de Maio
No dia-a-dia a frase mais escutada é: fui assaltado, roubaram-me isto, roubaram-me aquilo. É uma vida o mais intranquila possível.
Se não conseguirmos dinheiro, logo à noite nem pão teremos para comer.
Tenho visto com alguma frequência cidadãos chineses a dirigirem viaturas com o logótipo institucional da Edel e Epal. Não até que ponto vão os acordos com a chinesada! Podem me esclarecer sff? In Emiliano Calung no Facebook
14 de Maio
O nosso melhor amigo é a miséria.
Será que amanhã teremos água e luz? E depois de amanhã?
Outro apagão às 14.57 horas.
Não é só a seca no Sul que afecta um milhão de angolanos e angolanas. A inexistente energia eléctrica também é outra seca, outra miséria, outra fome. Portanto, estamos perante uma seca de Kabinda ao Kunene. Governar sem energia eléctrica, é desenvolver cancros sociais, fatalidades da miséria humana.
15 de Maio
Dois dias antes vi o saldo do meu telemóvel e estava, creio que, cinquenta ou sessenta kwanzas. Depois de tomar conhecimento de que a Unitel estava a desviar saldos dos seus clientes, tomado por desconfiança, ontem deu-me para ver o meu saldo Movicel, e... só cinco kwanzas? Ninguém utilizou o telemóvel. Grande mistério!
Na minha opinião e pelo pouco que eu entendo de negócios, se a UNITEL continuar a roubar assim a tia Isabel não vai precisar esperar nem mais um ano pra se tornar trilionária nem vai precisar de sacrificar as pobres galinhas pra lhe darem tantos ovos. Po mas que país é esse onde todo mundo se queixa e simplesmente ninguém faz nada? Vladimir Ndala no Facebook.
A luz chegou às 01.06 horas.
16 de Maio
Pelo que ouvi na Rádio Ecclesia, a criminalidade tomou conta de Angola. A bandidagem domina-a de Kabinda ao Kunene. Quer queiramos quer não, isto é uma espécie de terrorismo que amarra o nosso futuro. Isso de abandonar a juventude à sua sorte, no azar, criando bairros improvisados que são genuínos campos de concentração, é no que dá. Porque desalojaram milhares, e continuam a desalojar, de cidadãos depois abandonados, sem eira nem beira, sem condições, sem empregos. Jovens formados desempregados, porque os empregos são entregues de bandeja a estrangeiros. Manos e manas isto é o fim, Angola está inviabilizada?
Na semana passada dois chineses foram baleados por meliantes na zona da Paróquia da Cuca. Rádio Ecclesia
05.12 horas. Ouvem-se os protestos de uma jovem prostituta que caiu no engodo de um segurança ávido por sexo. E ele como não tinha dinheiro para lhe pagar, pois as empresas dos serviços de segurança para pagarem aos seus funcionários torna-se uma questão de sorte, uma insegurança. Normalmente ficam três meses ou mais sem lhes pagarem, parece que virou moda generalizada. Então o pessoal abandona o serviço e essas empresas contratam outros seguranças e a malvadez prossegue. É assim que se enriquece facilmente num país sem lei, na desordem. E a pobre jovem prostituta repetia aos gritos: me paga! Filho da puta! Me paga o meu dinheiro! E roubou-lhe os documentos e ele teve que pedir dinheiro emprestado nos outros seguranças para lhe pagar.
Viver sob um poder que não nos oferece, nos retira a mínima possibilidade de sobrevivência, é o mais atroz que nos pode acontecer nas nossas vidas. E hoje, isso é norma constante, morada, é a nossa destruição.
E os causadores da nossa miséria continuam impunes, ainda reconhecidos como notáveis entidades de utilidade pública, exemplo a seguir inspirados por Deus, todos defensores das legalidades democráticas. Isto é, a ilegalidade governa-nos. Na realidade não estou, não vivo num país, sou mais um preso nessa coisa que inventaram, Estado, Nação.
Querem fazer de mim mais um selvagem, mas eu não aceito.
A música que gostamos é como um medicamento que nos fortalece e nos cura as doenças da alma.
O homem injustamente preso no silêncio das grades de uma ditadura, é um homem revoltado que quando solto, as suas palavras voam muito alto, para a liberdade.
Sabem o que é manutenção? É, ligar e desligar até rebentar, queimar.
Acreditei nas pessoas e lixei-me, acreditar nas pessoas é como confiar em tubarões. Nada está, tudo está perdido.
Antigamente existiam pessoas honestas, agora devido ao sistema democrático, só se fabricam pessoas desonestas. Não há em quem confiar?
A perseguição dos apagões continua imparável. Caiu-nos outro em cima às 18.49 horas. E quando não houver mais nada para destruir? Pode a miséria sofrer restrições? E a energia eléctrica chegou às 23.51 horas, visitou-nos durante três minutos, foi-se e também três minutos depois acendeu-se, fez-se luz!