segunda-feira, 27 de maio de 2013

A NOSSA MARCHA DA MORTE




“Uma marcha da morte é uma marcha forçada de prisioneiros de guerra ou outros reféns ou deportados com o propósito de matar, brutalizar, enfraquecer e/ou desmoralizar os prisioneiros ao longo do caminho.” In Wikipédia
Quase há quarenta anos que os angolanos marcham para a morte.
Se não fossem estes homens maus, nós viveríamos muito felizes
Luanda é uma cidade ou uma guarnição militar?
A luta de libertação nacional de Angola foi um fracasso total e completo, e agora? Todos os problemas políticos se resolvem com mortes, tudo o que é problemático também. Assim nunca existirá Nação. De qualquer modo não é possível, por mais que se tente, uma solução à Síria, porque as variáveis são muito dependentes. Ainda de qualquer modo, é bom notar isto: o conjunto da oposição é muito superior ao MPLA, a variável independente. Portanto que não haja o resvalar da ponte sempre mal construída.
Quando os governantes fazem muitos discursos, significa que não têm interesse nenhum em resolver nada.
Quando se mudam sistematicamente os mesmos governantes de um lado para o outro, a isso chama-se desgovernação.
Está mais do que clarividente que sempre com os mesmo intelectos este país involui?
Alguém que me explique: o Passos Coelho passa fome? Então se ele não passa fome, que o tirem do poder e o enviem para junto dos miseráveis para ele aprender.
Ao abandonar a África à sua sorte, o Ocidente promoveu, e ainda promove o terrorismo, e nem se dava, não se dá, conta disso, porque os dramáticos acontecimentos lá ao longe nunca nos afectam, só quando chegam ao pé da nossa porta, e aí é o alerta com as mãos na cabeça, porque os esfomeados, desprezados, abandonados, espoliados, todos viram terroristas.
Não é a política, mas sim os políticos que destroem as nossas vidas.
Se a todo o momento a Lei é desrespeitada, como é que um governante afirma que não tolerará desrespeitos à Lei?
Duas tribos, uma, a do petróleo, a outra, os sem ele, e: se ficares serás eliminado, se tentares fugir também o serás. É esta a palavra de ordem dos executores da nossa pena de morte.
Enquanto nadarmos na desertificação da cultura sem água, energia eléctrica, da cólera que se aproxima endémica, dengue, malária, corrupção, de poetas e escritores subalternizados. Isso não é escrever nem poetar, nunca seremos nós mesmos, nunca teremos uma literatura angolana, mas, na miséria sempre dependente. E não entendo o porquê da não divulgação das obras universais dos grandes mestres da literatura universal, porque nos ensinam a amar o próximo e a lutarmos pelo mais precioso que existe: a liberdade e a democracia.
"E na Somália, jovens mulheres jogam basquetebol arriscando-se a que lhes cortem as mãos ou os pés.” In Rádio Vaticano.
A pior coisa que pode acontecer num país é a promoção do analfabetismo político e literário.
Não havendo resistência o inimigo corrupto avança e subjuga-nos.
Em Angola há direitos humanos ou desumanos?
Parafraseando Honoré de Balzac (1799-1850). Por detrás das falsas igrejas esconde-se sempre um crime.
Esta Pátria continua internacionalista de povo libertado, no petróleo afogado. Esta Pátria só tem petróleo, energia eléctrica e água não. O petróleo desenvolve outros países e promove a matéria-prima da miséria desta terra sangrenta, espoliada, permanentemente enlutada.
E com uma santa oposição que se ajoelha no altar a rezar, não adianta nada, porque de apagões está o céu e o inferno abarrotados, desesperançados. Entretanto outra corja já se prepara para ocupar o lugar da anterior.
Por aqui os ventos nunca são de feição.
E de repente ela subiu a chefe. Ela não estava preparada, capacitada para o lugar. Mas a vagina dela estava.
Se há leite, vinho, peixe, etc., importados e contaminados, porque não divulgam as marcas? Isto não é criminalidade, não se considera também extermínio da população?
A guerra da água e da energia eléctrica nunca mais acaba?
Nesta banda a miséria não se divide, multiplica-se.
Os governantes que façam o que quiserem. Mais complicado e desalmado do que está não é possível.
O que é que incomoda um bêbado? É o conseguir dinheiro para mais bebida.
Todos temos muitos infernos. A questão é: como cada um de nós lhes resiste?, os enfrenta?
Aqui tudo se resolve à Estaline.
A pior coisa que nos pode acontecer nas nossas vidas, é depararmo-nos com governantes que cometem erros, e neles persistem na doença da teimosia.
Os bancos são a desgraça das nações.
Muitos poderes, mas nenhum funciona.
E não é divisão administrativa de Luanda, mas sim nova divisão da especulação imobiliária de Luanda.
Quando nesta cidade o trânsito está permanentemente engarrafado, significa dizer que o Governo e o seu povo vivem em garrafas?
Basta ver o desmoronamento da Europa. E não podemos admitir que quadrilhas de políticos mentirosos construam campos de concentração para animais moribundos. Se não nos libertarmos destes políticos, a terra encher-se-á com os nossos túmulos.
E o salário mínimo nacional é: cinco mil dólares para estrangeiros e mais ou menos trezentos dólares para nacionais que são pagos com alguns meses de atraso… ou nunca.
O analfabetismo é como um livro fechado que nunca se abre.
No fim-de-semana e nos seguintes não sei se lerei o Folha 8 e se escutarei a Rádio Despertar. Por dificuldades de sinal não costumo ouvir a Rádio Despertar. Perante o actual assédio pelo seu encerramento pelos puros da informação isenta do Poder, levam-me a fazer os possíveis para a escutar. De facto o regime faz uma óptima publicidade gratuita a esta rádio.
A nossa felicidade está em não confiar nos políticos.
E por aqui quem brinca com o fogo não se queima.
E enquanto o Poder se fortalece, nós enfraquecemos, desfalecemos.
E permanentemente vêm homens com brocas grandes, muito grandes, e furam, martelam e outras coisas demolidoras. Dizem que estão a reconverter Angola. ESTÃO A DESTRUIR ANGOLA!
Unitel, o próximo mais espoliado, do saldo. UNITEL ANDA A ROUBAR
SALDO de 1 Semana agora não dura nem Meio dia e faço menos uso do que fazia, deixaram os sistemas deles com Técnicos incompetentes e aos Hackers.
Está decidido que a UNITEL não merece a nossa confiança vou parar de usar os serviços da UNITEL.” In Eric Russel Facebook