domingo, 12 de maio de 2013

Os que se sacrificaram por esta Pátria e agora espoliados, a ela não têm direito




Parece-me que o que existe é uma crónica falta de vontade de enumerar todas as situações que afectam Angola, e combatê-las uma a uma eficazmente, com profundidade. Para isso basta colocar as pessoas que realmente querem trabalhar e saibam trabalhar. É que Angola tem um cancro sem médicos para contê-lo. Se não se atacar já o mal, Angola viajará em grande velocidade para os cuidados intensivos, em estado terminal.
Com um elevado índice de analfabetismo político e educacional, mergulhámos maculados no grande charco da miséria.
A política é a arte da miséria. E com políticos mentirosos, logo não têm nada, nem uma pétala de democracia. Traindo-nos aliando-se aos bancos, rebentam com nações, lançando populações na mais estúpida e horrenda miséria. Quando um governante não tem imaginação, deve pedir a sua mutilação?
Angola é um circo com muitos palhaços.
Como é possível um banco, banco millennium Angola, espoliar um terreno, e com um gerador aniquilar as nossas vidas? Liquidar-nos com cancro, do fumo constante, tóxico, mortal, como convém. E o barulho também dia e noite. O nazismo regressou e implantou-se nesta terra, outra vez de servidão, sem lei, apenas uma: exterminar-nos e facturar nos rendimentos petrolíferos. Luanda é a capital da selva mundial.

Grandes defensores da democracia
falam, prometem da boca, estertor
incansáveis lutadores anti-fascistas
cheios de hipocrisia no seu interior

Há que vender qualquer coisa
nas ruas vestidas de miséria
multidões despidas pela fome
pelos novos-ricos da pilhéria

Viver é uma tortura diária
que virá no lixo, que o acompanhe?
pão podre como se fosse caviar
e uns pingos de cerveja, champanhe

Perseguidos pelo sem sistema bancário
tombamos na hecatombe das ruas
os bancos são os mentores, os senhores
dos escravos e das escravas, nuas

Há casebres? Já lá vamos
ordenamos para os destruir
nós bancos estamos, fincamos
queremos ver este país a ruir

Espoliámos um terreno
nas traseiras da rua Rei Katyavala
faz parte da nossa actividade
e há mutismo, disso ninguém fala

O Senhor é o nosso guia
e instalámos potente gerador
assassinamos crianças nesta Síria
faz parte do labor do Senhor

Estamos sem sistema: dizemos
nos nossos movimentos bancários
quando e onde nos convém
já não temos dinheiro, seus otários!

Como conseguir dinheiro, agora?
com a bênção de Deus, rezar
é destruir milhares de casebres
e os nossos cofres ficam a abarrotar