terça-feira, 10 de maio de 2016

DIÁRIO DE UM FAMINTO (11)



Somos seres humanos, mas na política somos desumanos
Que nos outros países, até no mais avançado, também têm taxas de pagamento do lixo. Pois é, só que nesses países a lei cumpre-se e por cá é de fingir, fugir.
Liguei do meu telemóvel para o que ainda creio que resta de um amigo, ele está mesmo como um monte de destroços porque me disse que está há seis dias sem energia eléctrica e que os seus vizinhos estão a morrer, muita gente a morrer. E que me defendesse, que nos defendamos. Disse-lhe que, creio que isso é o facto consumado da extinção da África Negra. Ele insistiu, é pá, defendam-se! Desliguei-lhe o telefone porque ainda não faço parte desse clube dos malucos.
Mesmo independente, por incrível que pareça o saque da África Negra continua muito voraz.
A opinião que se tem é o do voltar atrás, para o saudosismo do passado mantendo o ser humano apenas numa linha de pensamento, proibido de pensar, ficando tudo como estava no terror da repressão.
Durante meia dúzia de anos andou por aqui nesta Rua das Sirenes, um chinês das multitarefas. De repente desapareceu, passados quatro meses alguém o viu nos Mulemvos. Ele preparava-se para fugir para a China, foi apanhado em plena fuga, não quer mais ficar em Angola. Está preso em regime de trabalho forçado porque não acabou o seu contrato de trabalho com um general.
Apoiar ditaduras é fortalecer, é manter invencível o terrorismo.
Quando penso no estado caótico de Angola, sem querer rio-me de tal absurdo.
Até dá a impressão que a principal função do Governo Provincial de Luanda, é perseguir mulheres indefesas, excluídas dos circuitos da corrupção. Nas ruas diariamente enfrentam os inescrupulosos cumpridores das leis do livre-arbítrio. As desalojadas da vida já nem dinheiro conseguem ganhar para comprar um pão, quanto mais para pagar o imposto do lixo. Os cidadãos deviam isso sim, pagar voluntariamente uma taxa para limpar a grande lixeira instituída.
Na Guiné-Equatorial, Teodore Obiang, foi reeleito com noventa e oito por cento dos votos para um quinto mandato. Pela evolução, facilmente se depreende que infalivelmente no sexto mandato será reeleito com… duzentos por cento dos votos.
De, Costa Junior: “Esta manhã, 25 de Abril 2016, num debate na LAC (onde fui convidado por iniciativa do NCC em parceria com a Universidade Lusíada), o Deputado João Pinto afirmou, esclarecendo-nos a todos que: "as autarquias e o poder local não fazem parte do programa de governação do Mpla"!...
A função da religião é o analfabetismo das populações, e assim no obscurantismo, as subjugar. Escravas do medo ficam submissas a dois poderes: o poder de um Deus inventado, e o poder na terra Dele imanado em governos. Duas ditaduras, uma no céu e outra na terra. Utilizando o estratagema de Deus, reprime-se, age-se à plena vontade. E quem destas leis sair fica preso político. Um país de presos políticos.
A panela de Angola está a ferver?, está?! Deixa-a ferver, põe-lhe mais lenha para lhe atiçar o fogo. Hum, hum, mas que grande fogueira vai dar.

Viver dos sonhos do petróleo origina os pesadelos da miséria e da fome
E para Angola é melhor preparar já um fundo de emergência para a catástrofe humanitária que se aproxima. A fome e a anarquia governam Angola.
Angola, a refém da máfia chinesa e portuguesa.
Os dias que se aproximam são os dias da morte, só os governantes, da morte escaparão, as ruínas de Angola serão o matadouro da população. E do poder da morte desta governação ninguém lhe escapará. É a minoria que finge governar, mas que infelizmente corre o risco de não se poupar, porque povo sem pão, é morte, é o caos da revolução. Povo à fome abandonado é povo amotinado, do tudo queimado.
Aqui nem sobreviver dá, porque se multiplicam os canibais.
Por incrível que pareça, nota-se claramente que há uma vontade férrea de transformar Angola noutra Coreia do Norte. O sintoma mais visível é a declaração nacional da fome, um país, um exército de famintos. As esposas arranjaram namorados para sustentarem os seus lares.
Se até agora os países africanos não conseguiram as suas verdadeiras independências, então nunca o conseguirão.
Já lá vão quatro manhãs de chá de cascas de banana.
A oposição quer o poder em 2017, ano das eleições, mas até lá quantos eleitores sobreviverão das epidemias, da miséria e da fome. Quando o corpo não recebe alimento as epidemias alastram, matam como moscas a caírem sob a acção de um insecticida.
Empresários do dinheiro do petróleo que nunca fabricaram nada e como não sabem fazer nada nunca sairão da crise, muito pelo contrário, ela se exacerbará.
Quando carregava a minha penn drive de acesso à Net da Unitel, com novecentos kwanzas tinha de bónus cem por cento, agora só fico com uns míseros quinhentos megabites.

Não há vencedores sem vencidos. Só que os vencidos são aos milhões e os vencedores apenas meia dúzia, são deuses e os vencidos seus escravos.
Se o ministério da saúde não faz pulverizações para eliminação dos mosquitos, quer dizer que há interesses inconfessos, negociatas para vender muitos medicamentos e com isso ganhar as célebres comissões. Creio que a vacina contra a malária já está pronta, claro que é preciso guardar segredo, adiar porque senão perde-se o negócio.
Pergunta: se os presos políticos angolanos são acusados de receberem apoio do Ocidente, então Angola recebe apoio da Coreia do Norte? Isso, porque o jovem Nito Alves, na prisão como preso político, em mais um processo-crime por escrever na sua camisola foi acusado de destruição de bens públicos. É bem notório, pois os seus captores disseram-lhe que apodrecerá na prisão. O que não tem nada de extraordinário, pois que é normal regimes autoritários em fim de carreira assim procederem.
Quando uma sociedade perde a universalidade dos seus valores, desaparece, extingue-se, porque o poder que a domina, para sobreviver chama a invasão de estrangeiros para a perpétua dominação. Mas isto é um dos capítulos da ensanguentada revolta da história universal dos escravos.
O poder e os seus servos portugueses e chineses cavam as suas desventuras. Porque quem fiel aliado da corrupção, bom fim não tem, não.
Comércio livre é importar o lixo comercial, industrial e a poluição da China.
Desistir, abandonar as memórias do passado nas quais acreditamos, e que no futuro verificamos serem inúteis., exceptuando pai e mãe, tudo o mais se revela de uma atroz inutilidade. Tanto que acreditámos nos nossos amigos do passado, e no futuro por eles abandonados. Tão vastos anos a contar com a incondicional amizade deles. Sim, é verdade, a vida não tem sentido. As pessoas perderam as suas faculdades intelectuais. Verificamos que apenas alguns resistem, sobrevivem. Sempre foi assim, e assim sempre será.
Só o crime triunfa.
O maior problema de Angola é que há muitos declarados criminosos que a todo o momento atentam contra a vida das populações. Protegidos, porque sem lei exercem as suas actividades comandados pela morte. E isto traz, trará, funestas consequências.
As independências na África negra não resolveram problemas, muito os complicou. Assim a África negra está a falir.

Frases
“O inferno está vazio e todos os demónios estão aqui.” (William Shakespeare. 1564-1616)
“Você já sustentou um corrupto hoje?” (Autor desconhecido)
É preferível morrer pelo fogo, em combate, a morrer em casa, pela fome. (Fidel Castro)
“ Se todo o dinheiro desviado pelos corruptos tivesse sido usado para construir e manter hospitais, quantas vidas não teriam sido salvas? Todo o corrupto é assassino.” (Autor desconhecido)

Entretanto, bajulando os pintos vão piando, e sem asas, inúteis voos vão alçando.