sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

DIÁRIO DA CIDADE DOS LEILÕES DE ESCRAVOS. 21 a 29 de Dezembro de 2012



21 de Dezembro
A factura da luz chegou e era de dez mil kwanzas. E fez-se nova leitura do contador, e saiu nova factura no valor de seis mil kwanzas. Quando o cliente foi fazer o pagamento a EDEL não tinha energia eléctrica.
Em Luanda temos furacão Sandy todos os dias.
O navio negreiro NGOLA rompe o mar de petróleo/ E nele já não se pesca peixe só/ Óleo. O navio negreiro NGOLA sulca possante/ A proa rasga cadáveres/ Incessante
A história de Angola actual? É a história do neocolonialismo.
Parafraseando Agostinho Neto (1922-1979): A África é capim seco, onde cada incendiário incendeia o bocado que lhe resta.
E nesta Angola imensa, a promoção da imensidão da mediocridade iguala-a.
Segundo a LAC – Luanda Antena Comercial, o Exim-Bank americano tem um crédito de cento e vinte milhões de dólares disponíveis para o empresariado angolano. Mas ninguém sabe disso, porque o mais natural é o incremento da corrupção chinesa em detrimento do investimento americano?
22 de Dezembro
E na toponímia luandense nasce uma nova rua: Rua do Governo dos Massacres.
O segurança veio de casa e chegou ao seu posto com a cabeça bem rachada, de tal modo que até lhe sai liquido esbranquiçado. É que a sua esposa chateou-se com ele e surrou-lhe na cabeça.
23 de Dezembro
Os preços estão a subir pra caraças! Todos os anos é assim, e como a escravatura impera, ninguém liga, enriquecer a roubar, é a vida, o inferno de Angola. Sim, nesta república de escravos, a única coisa que funciona é as sirenes dos carros da Polícia.
Mas, afinal todo o governo africano é ditadura? Ou ainda: porque será que a África é o viveiro dos ditadores?
24 de Dezembro
DENUNCIA: Trabalhadores da maior empresa de refrigerantes de Angola, Refriango, reclamam neste momento que mesmo estando a trabalhar em pleno dia 24 de Dezembro, foram informados que devem trabalhar até às 22 horas de hoje (sem pagamentos de horas extraordinárias), estando assim impossibilitados de fazerem preparativos para o Natal de suas famílias. Neste caso está sendo acusado o senhor Estêvão Daniel, que é o administrador da Refriango no Kikuxi, município de Viana. Em Luanda, o Presidente da comissão executiva da Refriango chama-se Carlos Santos, e o Director da mesma é o senhor Dimitris Geogalis (com perfil no Facebook), de nacionalidade grega. In Pedrowski Teca. Facebook
Meditando: o comércio está em poder de asiáticos. Acontecendo uma revolta em que eles sejam perseguidos, a fome é certa, não é?!
22.50 horas. A Internet foi-se.
23.05 horas. Bêbados e similares, colocaram a aparelhagem no passeio da rua e atiram com a música a mais barulhenta possível. Que estranha e arrepiante maneira de anunciar a noite de Natal. Cada vez piores, sem dúvidas.
25 de Dezembro
Festa de Natal? Que festa? Um escravo festeja o quê? A riqueza petrolífera em poder dos senhores dos escravos? O vê-los a carregarem tudo e mais os seus asseclas estrangeiros? Antes ainda havia cabazes, agora, isso acabou, secou. Resta a um escravo festejar a sua escravidão, ranger os dentes e gritar: um dia destes me pagarão.
26 de Dezembro
Junto ao Largo Zé Pirão, há vários anos que na obra, prédio do general Led, nas traseiras do Hotel Katyavala, propriedade também do general, penhorado em tribunal mas que ele não cede porque está acima da Lei, que ninguém do Poder respeita, erguem-se paredes e outras metamorfoses cadavéricas, e depois se deitam abaixo, e se reconstroem num circuito infernal. Assim vai Luanda, de Angola já não adianta falar, rumo ao destino do futuro incerto da imensa riqueza do petróleo que é a nossa desgraça.
27 de Dezembro
Informação chegada à redacção deste diário, que os portugueses invadem a Administração Pública. Os mwangolés consideram isto como mais um desastre para o descontentamento que originará revolta, pois perante tanta escravidão, assim não dá. E está claro que os ânimos dos quadros nacionais estão muito exaltados. Portanto, a corrupção angolana exporta-se para a outra corrupção, a portuguesa, e como prémio os portugueses invadem Angola com o maior à vontade. Uma pergunta se impõe: então, e os quadros nacionais continuam desempregados, enquanto os portugueses não têm problemas de emprego? É que todos os dias chegam caras novas. Isto vai ficar muito violento, não é?! Até porque se costuma ouvir mutas ameaças em surdina. Isto de vender Angola e a sua população como escravos, há que confessá-lo, foi-se longe de mais. Será que estes e outros portugueses são afectos ao PCP – Partido Comunista Português?, ou ainda que, para arquivar a queixa da PGR portuguesa contra as lavagens de dinheiro de três altos dignitários do regime angolano, em contrapartida se legalize a invasão portuguesa em Angola?
De vez em quando a Net corrompe-se, a epidemia da corrupção alastra-se.
É frequente ouvir os propagandistas do partido UPPC - Um Pouco de Paciência e Compreensão, que Angola está a crescer, só que não sei, ninguém parece saber, quando é que parará. Mas aqui reside o busílis da questão: alguém me sabe explicar se o crescimento é geográfico ou social? Decerto que socialmente não será, porque a miséria cresce. Será por este crescimento que os porta-vozes do Poder se exaltam?
28 de Dezembro
As falhas da Angola Telecom na Net são provocadas para que a Unitel facture? É que quando ficamos sem Net, o pessoal compra cartões de recarga Unitel, porque é que a Unitel nunca fica sem Net?, em quantidades industriais. Facturar, facturar é o segredo do negócio da Unitel?
A desinformação destrói a Nação.
29 de Dezembro
Uma das melhores que já vi até hoje foi um software de contabilidade de uma empresa portuguesa, que oferecia um calendário e uma calculadora. É que o Windows já nos contemplava com essas duas aplicações. Não me surpreende nada que ainda andem por aí.
Havia também outra empresa, não sei se também ainda anda por aí, que na compra de um software, pagava-se o frete aéreo.