quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O REI DO PETRÓLEO (18)



RCE - República dos Comités de Especialidade, algures no Golfo da Guiné.

Errata: onde em qualquer lado lerem ou ouvirem, diversificação da economia, leiam ou ouçam, diversificação da corrupção.
Se nós os pusemos no poder, arriscando as nossas vidas e passando inúmeros sacrifícios, também podemos de lá os tirar e enviá-los para o banco dos réus para serem julgados e condenados por alta traição à Pátria e ao Povo.
Mensagem enviada a um amigo algures na costa do Atlântico Norte: O meu salário do Jornal …… é incerto, não se sabe quando cai, está como tudo aqui, incerto. Por isso sugiro que instruas um teu familiar ou amigo aqui em Luanda para me enviar duas recargas de telemóvel da Unitel, para o meu móvel … … … … pois devido à falta de saldo vou ficar sem comunicações. Antes conseguia kilapi por aqui, agora está muito difícil, ou impossível. A empresa Sókilapi, Lda faliu. Também à Grande Marcha da Fome aderiu. Dia a dia isto infesta-se de maldade, antes era a guerra pela independência, agora é a guerra pela sobrevivência. Está comigo um neto de três anos e meio, posso dizer permanentemente, e só para te dar uma ideia dos preços, uma lata de leite Nido de 400 gramas custa oitocentos kwanzas. Assustador, não é?! Costumamos guardar a comida para ele e o pouco dinheiro também lhe fica reservado, e nós, eu e a minha esposa, comemos qualquer coisa, por exemplo, há quatro dias que comemos arroz com couve. Devido à crise os pais dele também passam por maus momentos. Beber um vinho, cerveja, isso são luxos. Como sabes, sou técnico de contas, uma profissão que aqui não tem qualquer valor porque onde há corrupção não há contabilidade, pois os corruptos têm pavor dela. Nem mesmo perante a monumental crise do petróleo os corruptos lhe dão valor, o que traz funestas consequências para a moribunda RCE. Antes era, posso dizer, fácil conseguir trabalho, mas desde que ordenaram a invasão de Angola pelos portugueses nunca mais consegui nenhuma empresa para lhe fazer a contabilidade. A promiscuidade portuguesa avançou até atingir o nível de máfia, e neste momento espanto-me como é que os mwangolés são despedidos devido à crise, e os portugueses conseguem emprego. Isso pode-se comprovar facilmente pelo Facebook no site deles. Os chineses também diariamente roubam os empregos dos mwangolés. Neste momento já se torna muito difícil aqui sobreviver e dentro de alguns meses creio que será impossível aqui viver. O ambiente crispa-se diariamente e não se vê nenhuma solução. De certo modo posso afirmar que as pessoas vivem aterrorizadas, basta ver à noite nas ruas. Devido à crise do petróleo há muito prevista, mais que desgraçadamente anunciada, os mwangolés são despedidos aos montes, tal como o lixo que se vê nas ruas e que não para de crescer até engolir esta cidade, a cidade do lixo, onde tudo e todos são lixo, lídimos representantes da lixeira mundial. Mas os portugueses conseguem empregos e outros conseguem mantê-los não se sabe como… sabe-se muito bem, pois quem apoia a corrupção salva-se muito bem. A actividade dos chineses é extremamente escandalosa, basta citar o exemplo das fábricas de tijolos, sob o silêncio do partido que há muito finge estar cego, finge que não vê nada, apenas se preocupa com a facturação que resta do apocalíptico petróleo nos saldos de miséria para abastecimento do palácio e da sua vasta família que rodeia o fausto faraónico. Tudo isto constitui uma situação gravíssima, mas como os que fingem que nos governam já cegaram de vez, aguardemos que isto caia também de vez e para sempre.
Ver isto com olhos de ver: não será mais importante que a estafada e falhada operação presos políticos afastar as populações da Grande Marcha da Fome e conduzi-las para a Grande Marcha da Comida? Porque só os do palácio têm direito a comer e a população não? Governar a fome com repressão é procurar o fim imediato ou não? Persistir no infantil erro, é carregar o caixão do desterro.
Enquanto a Igreja corrupta de Angola estiver de pé, nunca levarei a sério a cruzada do Papa Francisco I.
Isto está como um cavalo sem freio nos dentes, e ninguém tem a coragem de lhe tomar as rédeas.
Atenção! Ler livros dá prisão.
Parafraseando Galileu (1564-1642). E contudo a corrupção move-se.
Má governação é ficar no poder até à exaustão.
Má governação é vivermos rodeados de lixo por todo o lado, é uma governação que foi atirada para o lixo.
Onde há presos políticos há horrível governação.
Parafraseando o poeta português António Aleixo: quando este Mpla cair do seu pedestal, a vida será para todos igual.
Sem nenhum intelectual, o Mpla faz o seu funeral.
Manos e manas! Apoiemos todos a grandiosa Marcha da Fome do nosso glorioso Mpla. Viva o nosso Mpla!
Ponham-se estupidamente armados em Coreia do Norte, a matarem-nos à fome, e depois vão ver o que lhes vai acontecer.
O Mpla é muito bom para alguns, e muito mau para muitos. É o partido da maioria da absoluta fome.
Parafraseando Napoleão Bonaparte (1769-1821). Ó esfomeados! Olhai! Do alto deste palácio, quarenta anos de fome vos contemplam, vos arrasam!
A corrupção é uma flagrante violação dos direitos humanos. É devido a ela que qualquer cidadão é um preso político. E quanto mais se fortalece até acabar numa epidemia, montanhas de cidadãos são acusados de conspiração, montanhas de presos políticos apodrecem nas prisões, pois a estratégia é fazer por qualquer meio que eles lá morram devidamente assistidos pelo demónio. E Angola há muito que está inundada pela corrupção. É uma inundação de tal ordem que é devido a isso que quando andamos nas ruas ficamos com os pés molhados.
Se não fosse a Igreja e as igrejas, em Angola não existiria corrupção, ditadura e presos políticos.
Aurea Palhares. “O banco Bic está a fazer transferências? Pelo que sei deram prioridade aos fornecedores, e as poucas transferências que fazem estão super atrasadas, Bic está nos piores para mim, desisti, boa sorte.”
Uma sobrinha de uma vizinha foi levantar os dólares no banco que lá tinha depositado. Informaram-lhe que não têm dólares e que poderá levantá-los convertidos em kwanzas. Está muito chateada. Disse que se vai queixar. Não sei a quem, alguém sabe?
Quem faz de um país uma prisão de presos políticos, é porque se vê incapaz de resolver problemas económicos. E a manter-se teimosamente assim verá a hecatombe final. Mas como é que em Angola são detidos conforme a lei, se em Angola não existe lei.
Ouvi na Rádio Despertar que por toda a Luanda as kinguilas estão a ser presas, algemadas e encaminhadas para as esquadras onde lá ficam.
E a RCE tornou-se um país tipicamente africano, daqueles onde não vale a pena ligar a nada, porque só se vive o dia-a-dia, o dia de amanhã não existe.
Sempre as mesas vozes que há quarenta anos se ouvem. Isso são vozes do além que estão aqui para nos atormentar, para nos aterrorizar, para as suas tumbas nos levar.
Na província do Namibe, a Grande Marcha da Fome já lá chegou em força. Já não se pode comer pão porque os preços sobem, sobem, e não caem. Mas os meios da desinformação da RCE garantem que este paraíso – com bombardeios constantes de imagens paradisíacas - não sofreu alterações. Parece o paraíso prometido das Testemunhas de Jeová.