quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Para cada estrangeiro a sua Angola





Para cada estrangeiro um bocado de Angola
Para cada angolano a sua esmola
Para cada estrangeiro o seu emprego
Para cada angolano o seu desemprego
Para cada estrangeiro a sua habitação
Para cada angolano a sua demolição
Para cada estrangeiro o seu ganha-pão
Para cada angolano a sua exclusão
Para cada estrangeiro um segurança
Para cada angolano insegurança
Para cada estrangeiro o lucro fácil
Para cada angolano tudo muito difícil
O petróleo ilumina a governação
Sempre às escuras a população
Em Moçambique os ricos vivem em sobressaltos
Em Angola também se vive de assaltos
Para o estrangeiro tudo o que ele merece
Para o angolano tudo o que ele padece
Carro de 150 mil dólares para o deputado
O eleitor outra vez burlado
A liberdade de imprensa acabou-se
E a Constituição?! Rasgou-se!
Que utilidade tem a Constituição
Pois se proíbe uma vulgar manifestação
Está muito difícil para a oposição
Escapar incólume da violenta repressão
Para eles tudo do bom e do melhor
Para nós tudo do mau e do pior
Para os tugas o MPLA era o grande inimigo
De repente chamam-lhe o nosso melhor amigo
À invasão chinesa e portuguesa chama-se cooperação
É a transferência tecnológica da poluição
O tijolo, o cimento e o betão
É chinês, é tudo falso nesta cooperação