segunda-feira, 21 de outubro de 2013

República das Torturas. Diário de um frustrado



14 A 19 de Setembro de 2013. Diário da cidade dos leilões de escravos
14 de Setembro
"Uma pessoa com convicção tem a força equivalente a cem mil que tenham interesses apenas." John Stuart Mill, filósofo inglês, 1806-1873.
ÁGUA É VIDA, DÊ VIDA A EPAL PAGANDO A SUA CONTA!
(Senão vamos aí no prédio e cortamos-lhes a água. Queremos lá saber de quem tem as contas em dia e não nos deve nada. Nós não abandonamos o marxismo-leninismo, agora no incontrolado selvagem capitalismo, e por isso mesmo todos são inferiores, excepto o nosso glorioso Politburo dos superiores.)
Comentário: pobre mas honesto, não lhes devo nada, tenho as contas em dia. A água há mais de mil anos que não sobe – como tudo o mais, sempre a descer, portanto também como tudo o mais – este aviso não faz sentido, apenas revela a anormalidade que nos dirige. Onde há incompetência, há descalabro social, moral, tudo antinatural, como convém a qualquer dirigente, deprimente.
Luanda. Máfia organizada de raptos de crianças em acção.
Segundo a Rádio Ecclesia, uma criança recém-nascida com quatro dias foi raptada junto a um banco. A raptora utilizou o estratagema de pedir a criança para entrar no banco porque assim seria facilmente atendida. Mas desapareceu com a criança por outro local de saída.
Afinal ainda há governos que não sabem quais são os problemas da juventude. E precisam de a auscultar, até lhe organizam fóruns e festas medievais.
Depois do primeiro fórum da auscultação dos problemas da juventude tipicamente partidário, colocar os jovens na expectativa, na pretensão do ganhar tempo, um jogo muito arriscado, muito perigoso, pois os jovens ficarão ainda muito mais frustrados, em que naturalmente as palavras de ordem – de desordem – são mais uma vez a de que ainda agora começámos o fórum e as coisas não se resolvem de imediato. Daqui a um ou dois anos será organizado o segundo fórum, em que serão balanceadas as suas actividades e o seu grau de controlo, com os habituais balanços sempre positivos – nesta terra não há nada de negativo – então os jovens serão uma vez mais convocados e tecerão as habituais considerações partidárias. E o grande mestre que não consegue ensinar-nos a pescar, repetirá que é necessário criar empregos para a juventude e que os estrangeiros serão preteridos nos empregos a favor dos angolanos, e que muitos empregos para os jovens serão criados.
Discurso do PR no Fórum Nacional da Juventude
“Não é justo que as empresas nacionais ou estrangeiras prefiram dar emprego aos cidadãos estrangeiros no nosso país para realizarem trabalhos que os angolanos podem fazer e às vezes apenas mediante alguns cursos de formação profissional.”
Quem é que contrata e orienta os chineses a invadirem Angola? A Presidência da República. Quem é que ordenou a invasão desordenada de portugueses? Foi o PR. Quem é que forçou a espoliação dos empregos dos angolanos em proveito dos estrangeiros? Foi também o PR.
E depois do célebre primeiro fórum nacional de auscultação aos problemas da juventude, o PIFONAPOJU, os problemas dos jovens foram equacionados a montante e a jusante da juventude – outra mais-valia garantida – ficou tudo matematicamente sanado, não havendo a partir desta data qualquer direito a reclamação, crítica, manifestação ou qualquer outra forma de reivindicação, sob pena de violenta repressão seguida de prisão sob a acusação de completa ilegalidade, conforme as ordens do conselho superior de defesa dos interesses do petróleo e dos estrangeiros.
Bruto apagão das 11.31 até às 20.59 horas. Hoje foram mais de dez horas sob intenso ataque químico dos geradores. Um país que vende geradores necessita de cortes de energia eléctrica permanentes. Porque sem a venda de geradores as empresas não sobrevivem. O uso de geradores é a garantia de emprego - a felicidade – da juventude angolana. Rumemos pois no rumo certo da população luandense cancerosa.
Lisboa – Angola ocupa a segunda posição mundial na tabela da taxa de mortalidade de menores de cinco anos, com 164 mortes infantis em mil crianças nascidas vivas, indica a UNICEF num relatório divulgado na última sexta-feira, 13 de Setembro de 2013.
15 de Setembro
Outro corte de energia eléctrica das 06.10 às 07.10 horas.
É por demais evidente que sem energia eléctrica não é possível resolver os problemas da juventude. Mas auscultar os seus problemas é muito fácil, pois com conversa tudo se resolve – a arte de ganhar tempo – o problema é a sua execução. Quem não executa nada – a não ser os seus opositores – perde-se, esvazia-se em fóruns.
Desligaram-nos outra vez a luz das 11.52 às 12.46 horas.
Não sabem fazer nada. A única coisa que sabem fazer – e muito bem – é arrasar, destruir tudo. Nós sem energia eléctrica – sem nada – e eles com o petróleo, com tudo.
Entretanto em Luanda, a guerra química intensifica-se. As crianças vítimas inocentes são gaseadas pelo fumo tóxico dos geradores, perecem comprovadamente cancerosas. Mortes em larga escala de um conflito que já dura há quase quarenta anos.
16 de Setembro
Quando a ditadura é um facto a revolução é um dever.
In Filme, O Comboio Nocturno para Lisboa, 2013.
17 de Setembro
Estrangeiros ao serviço do MPLA impõem-nos a fome com salários de miséria – estão legais porque cumprem com a legislação laboral nacional – mas que vejo? Mwangolés a trabalharem sábados e domingos, será que os estrangeiros lhes pagam? Tantos estrangeiros armados em super revolucionários e que antes eram do piorio e nem os salários pagam aos seus trabalhadores. Para quê então escrevinhar a hipocrisia, a maldade e a falsidade? Não escrevam mais nada, calem a falsidade que vos emporcalha os corpos e deixem também de destruir Angola e os angolanos.
18 de Setembro
Era uma casa pouco alicerçada
Só comunicados nela faziam morada
E mais nada
Era uma casa muito tremida
Será demolida?
Demitiu-se?
Com comunicados de ocasião
É uma casa de papelão pouco útil
Fácil
A CASA-CE está muito frágil
Actualmente todos os portugueses são simpatizantes ou militantes do MPLA?
E o PR, José Eduardo dos Santos, avoluma problemas, nisso ele é um brilhante especialista, ninguém o bate, honra e glória lhe sejam prestadas.
19 de Setembro
Artigo 47.º
(Liberdade de reunião e de manifestação)
1. É garantida a todos os cidadãos a liberdade de reunião e de manifestação pacífica e sem armas, sem necessidade de qualquer autorização e nos termos da lei.
2. As reuniões e manifestações em lugares públicos carecem de prévia comunicação à autoridade competente, nos termos e para os efeitos estabelecidos por lei.