terça-feira, 7 de outubro de 2014

21-24Set14. República das torturas, das milícias e das demolições





Diário da cidade dos leilões de escravos

21 de Setembro
José Severino no dia 18 de Setembro no programa Vector da LAC. “Vêm máquinas da Itália, os técnicos são brasileiros. Vêm máquinas da Alemanha, os técnicos são chineses. Os barcos de pesca chineses continuam na pesca ilegal.”
Continuar a destruir, a arrasar Angola, - os angolanos já estão arrasados – nem se apercebem que essa situação criada se avolumará e se virará naturalmente contra os seus mentores. Sucumbirão na armadilha que criaram, pois conforme o enunciado fundamental da lei da feitiçaria que nos ensina: o feitiço volta-se contra o feiticeiro.
Os chineses – e com certeza não serão só eles – quando apanhados em flagrante delito, apresentam uma pasta com dólares. Assim se explica porque em Angola não há lei. Há, é a lei da república das pastas com dinheiro.
Mas, isto assim não vai muito longe, ou melhor, já foi demasiado longe. O padre faz a sua lei, o chinês faz a sua lei, o português também, os lordes do petróleo idem. Qualquer endinheirado também tem a sua lei privada. É um exército fora-da-lei que nos comanda. 
E eu vi uma coisa idiota… terrível, no mundo dos homens. É que alguns fabricavam milhares de terroristas e depois faziam coalizões para acabarem com eles.
Pela merda que cagas se vê o dinheiro do petróleo que comes.
Se os teus filhos andam nos assaltos para viverem porque não têm empregos – são só para estrangeiros – a culpa não é tua, que não os educaste como deve ser. A culpa é do poder vigente que não permite educar ninguém. Os corruptos só formam e educam corruptos. E os filhos dos corruptos são muito mal-educados. Os filhos dos mwangolés entram nas escolas e lá recebem a formação de delinquentes.
Ó desempregados! Muitos assaltos nos esperam!
Os bancos são financiadores do terrorismo. Então, o dinheiro que os terroristas conseguem sai de onde?
No início da independência convenci-me que estava perante uma sociedade livre, justa, democrática, com o fim do colonialismo e da escravidão. Passados quarenta anos tudo permanece, e o mais triste é ver, viver numa sociedade sem lei, na desordem, no caos.
Afinal andam por aí muitos espíritos de jovens muito bonitas que surpreendem os incautos com convites libidinosos que depois terminam nos cemitérios. Alguns já se aperceberam disso e recusam os convites dos espíritos dessas beldades.
22 de Setembro
É uma manhã de um cacimbo que nunca mais acaba e parece que ninguém sabe quando. Já o sol obrigatoriamente deveria felicitar-nos com os agradáveis e maravilhosos raios de sol, mas não, o tempo está sob o domínio de uma corrente fria polar. A nova idade do gelo já passeia sob os nossos corpos e isto trará consequências graves, pois quando há uma alteração climática de vulto, consequências desastrosas habitualmente se lhe seguem. O polícia de trânsito está no cumprimento do seu dever, um automobilista trajado à civil executa uma manobra que colide frontalmente com as normas do código da estrada. O condutor foge da ilegalidade. O polícia persegue-o, ele não lhe liga, tipo, é pá vai lá à merda. O polícia acelera, ultrapassa-o, pára com a moto à sua frente e ordena-lhe de arma em punho para parar ou então atira-lhe para os pneus. Mas nem mesmo assim o zeloso condutor sem lei lhe obedece. Sai do carro, chega bem junto do polícia e dá-lhe duas violentas bofetadas nas faces que põem o polícia de trânsito quase desmaiado. Pouco depois passa um carro da UGP-Unidade da Guarda Presidencial lotado de militares, pára e um militar grita para o condutor do carro: «Chefe! Chefe! Há problemas? Está tudo bem?» O povo que assistiu a mais um episódio dos sem lei apoiou o polícia de trânsito. Isto aconteceu na Rua rei Katyavala durante a visita do Presidente da República ao Governo da Província de Luanda.
Negociatas para dar empregos a chineses, portugueses e brasileiros. Esta continuada escalada do infortúnio populacional trará no "tempo" da chuva que se aproxima, dias sombrios. Isto está uma grande m.e.r.d.a. Receio o pior que sem dúvida acontecerá. Até o meu emprego me roubaram... e não há, apanharam tudo e continuam, não param. Isto é uma grande revolta que vem aí ou não?
Hoje venderam-se mais alguns geradores porque a energia eléctrica faltou das 19.39 até às 21.17 horas.
O técnico de informática angolano faz manutenção do software da máquina de um banco que controla os depósitos e os levantamentos, e se faltar dinheiro... ainda obrigam a repô-lo como se ele tivesse alguma coisa que ver com isso, pois a sua profissão nada tem a ver também com isso, pois quem opera com a máquina não é ele. Trabalha numa empresa de informática do filho de um general mas com gestão de portugueses. O técnico angolano trabalha todo o dia sem se poder ausentar do local de trabalho, quer dizer: até na hora do almoço trabalha e os portugueses negam-se a providenciar-lhe o almoço ou a pagar-lhe o subsídio obrigatório por lei. De vez em quando o angolano é acometido por dores de cabeça devido à fome e à fadiga impostas pelo trabalho escravo. Bom! BASTA! É DEMAIS! EU APOIO A REVOLTA! PQP!
23 de Setembro
Na zona da Discoteca Valódia em Luanda, o segurança apresentou-se ao serviço para render o seu colega, disse-lhe para aguardar um pouco, que ia descansar porque não se sentia bem. Deitou-se num local dissimulado bem próximo fora das vistas. Mas como ele demorava muito na renda, o colega foi ter com ele e lá chegado observou-o com atenção e viu que ele estava morto.
E os corruptos? Não são terroristas? A corrupção é o mais atroz terrorismo e ninguém lhe faz coalizão, assim nunca haverá paz.
Em Angola há muitos jornais de Angola, e também muitas televisões e rádios nacionais de Angola.
E os estrangeiros continuam com os seus safaris, brutas expedições para a caça de mwangolés.
O prédio está apenas com uma fase das três que normalmente nos abastecem de energia eléctrica. No rés-do-chão tem estabelecimentos dos brancos. No primeiro andar um apartamento já é escritório dos brancos. O segundo andar tem também um apartamento dos brancos. O terceiro andar é só brancos. Mas sentem-se muito felizes com isso. Têm geradores para acabar com o que resta do prédio. E estão sempre a pregar os bons exemplos da civilização branca.
24 de Setembro
Ministro (Pedro Mutindi) aprovou despacho para estudar desigualdades salariais entre expatriados e angolanos e quer acabar com situações não abonatórias no sector hoteleiro.
E também um centro espacial para viagens à lua? “Presidente Dos Santos anuncia metro de superfície para Luanda. No futuro, a cidade capital poderá vir a ter um estatuto diferenciado, tal como tem Brasília, no Brasil, ou Washington DC, nos Estados Unidos da América.” Significa isto que a miséria em Luanda soará como uma grande cavalgada sem freios nos dentes.
Rádio Despertar e Folha 8 na fogueira da inquisição do petróleo. Este petróleo é um feroz inimigo da democracia.
Isso do tal metro de superfície nota-se claramente que é uma imposição chinesa, com umas migalhas portuguesas e de outros esclavagistas.
Presentemente Angola tem três classes sociais a saber: a classe dos milionários do petróleo, a classe dos estrangeiros e a classe dos chimpanzés.
É muito importante não confundir democracia com terrorismo democrático.
Entre o tal metro de superfície e outras megalomanias destrutivas, o PR foi ao Governo da Província de Luanda apresentar o seu mega projecto imobiliário megalómano como um empresário de sucesso na empresa multinacional, Angola Espoliada, SARL