terça-feira, 21 de outubro de 2014

30Set-03Out14. República das torturas, das milícias e das demolições




Diário da cidade dos leilões de escravos

30 de Setembro
Os tugas têm de subsídio de refeição mil dólares. O ambiente de trabalho já está criminoso, parece mais uma fábrica de terroristas. Apostar nos chicotes estrangeiros sob as ordens de uma minoria nacional, é impor a escravidão dos mwamgolés e gerar uma terrível, sangrenta convulsão social. O que se segue acontece com um meu familiar, imagino o que se passará por essa Luanda e Angola. O nosso mwangolé continua na manutenção diária da máquina do banco sem direito a almoço ou o subsídio que lhe é devido como mandam as regras da nova vida do socialismo científico, tendo mais experiência que os FDP tugas que ganham, roubam, o vencimento que compete aos angolanos. Entretanto, mais um filho da puta de um português chega com o estatuto de chefe de qualquer merda, - porque é que um merda qualquer tuga lá em Portugal é empregado de limpeza e aqui em Luanda é chefe de qualquer profissão, - não faz nada, fica só sentado como faz a restante cambada da ciganada - e quando o mwangolé passou por ele, chamou-o porque o português filho da puta é chefe e disparata-lhe sem mais nem menos que: «Tu não fazes quase nada!» Estes tugas de merda são racistas, e como se não bastasse gastam as cadeiras pelo uso demasiado que delas fazem pois é só fumarem, beber café e falar do desporto. É com merda de gente como esta que Angola se desenvolve? Não! Isto não é gente, é uma manada de ciganos que aqui acamparam. Esta gente é uma cambada de parvalhões, atrasados, boçais. O nosso mwangolé respirou fundo, não reagiu, mas prometeu que da próxima é que vai ser. É só nesta merda de gente que se investe para agitar esta podridão mais do que está? A propósito: ainda não chegou a hora de lhes dar o tal exemplar correctivo que merecem? Para começo um monte de chapadas nos focinhos deles.
Discurso de um segurança captado há pouco: eu não gosto nada, nada dos portugueses porque eles são muito falsos. Hoje combinamos uma coisa, assumimos um compromisso, os portugueses dizem que sim, que podes ficar descansado que amanhã tudo será resolvido. É tudo mentira, no outro dia eles não cumprem nada do que prometeram. É por isso que não gosto nada deles, eu até os odeio, são muito falsos. Não quero nada com eles!
A miséria está muito intensa, como a morte.
O clima está como esta sociedade, louco.
O terrorismo combate-se com outro terrorismo. É necessária a aniquilação desta gentalha: Continuando com a odisseia do nosso técnico mwangolé: os filhos da puta dos portugueses mandaram-no ir até à Maianga a pé entregar uma impressora que ele reparou. Ele foi, imaginem o que é ir com uma impressora dessas normais, que depois de uma caminhada ficam pesadas, da Sagrada Família até à Maianga. Foi lá e regressou porque não estava ninguém. Foi mais tarde percorrendo o mesmo trajecto a pé sem qualquer apoio, e lá chegado descobriu que há dois meses não mora lá ninguém. Depois, os filhos da puta dos portugueses disseram-lhe que afinal é em Talatona e que o nosso técnico terá de lá ir entregar a impressora… a pé. Quer dizer, com o aumento dos combustíveis e derivados em número redondo de cinquenta por cento, os táxis cobram mal tornando-se na prática inviável o seu transporte porque o vencimento mínimo nacional é tão desprezível, – como os portugueses - o nosso técnico foi peremptório: não, chega de racismo virulento, não vou, arranjem outra pessoa… doem-me os braços por causa de carregar com a impressora. Meus kambas, vejam até onde esta merda chegou. Bom, é pá, desculpem mas tem que ser, doa a quem doer! É necessária a aniquilação destes filhos da puta de tugas e de todos os outros como eles. Já afiam as mãos de contentes porque já um ou uma portuguesa se preparam para lhe ocuparem o lugar, para se sentarem a descansar de nada trabalhar, e dos assaltos não conseguirão escapar. Este petróleo e quem dele beneficia tem a cor do sangue dos escravos mwangolés. Há sempre um dia…
Estou estupefacto com as atitudes negativas dos tugas para com os mwangolés, e dizem-se mais civilizados, com mais conhecimentos, com mais sabedoria, com mais tudo, e são todos chefes. Bom, é mais um monte de achas que se lançam para a fogueira que alastra, só não sei quem é que a apagará.
01 de Outubro
Mais da podridão tuga: afinal a empresa é no rés-do-chão e os gajos vivem no primeiro andar com todas as mordomias e os tais milhares de dólares mensais sem fazerem nada. Não lhes falta nada, ficam no rés-do-chão na sorna e de vez em quando dizem que vão lá acima buscar uma coisa, afinal vão dormir. Isto é o que se chama: mas que grande revolta que aí vem.
Última hora! Consequências da subida dos preços dos combustíveis, greve ou outra coisa? A vizinhança acaba de informar-me que não há pão. Andaram por aí e que não há pão em lado nenhum, entenda-se, nos locais habituais.
E sabem o que é que os filhos da puta dos portugueses disseram há pouco no nosso técnico mwangolé? Ele perguntou-lhes pelo subsídio de férias dos dois anos que os filhos da puta dos tugas não lhe pagam, nem sequer lhe dão uma explicação plausível, e terminaram assim: «Olha, sabes uma coisa? Este mês só pagamos a partir, com sorte, do dia 15.» Vitória ou morte! Contra os ciganos marchar! Marchar! Imediata prisão para os tugas. Estes gajos são bandidos altamente perigosos. Deixam entrar aqui qualquer merda, isto está bem fodido. Só a confusão que vai vir aí! Isto assim não pode continuar porque os filhos da puta dos tugas transferem regularmente os seus milhares de dólares para Portugal, que até originam a falta de dólares. Estes gajos estão a foder esta merda toda. São a ponta de lança dos escravocratas que nos comandam. Estes gajos são piores que os chineses. Vivam as manifestações!
Oh! Oh! Na cantina dos indianos o pacote de azeitonas que custava cem kwanzas subiu para duzentos kwanzas! Assim isto vai estoirar. Claro, o aumento dos combustíveis dá para o enriquecimento fácil, coisa em que Luanda é mestre, é só aventureiros que aqui desabam como uma peste incurável.
Sem informação há muita confusão. Proibir e reprimir a informação é fazer revolução. E onde há ditadura há revolução.
Portugueses genuínos: Infelizes dos nossos técnicos que são obrigados a suportar tanta indignidade e escravidão porque os senhores do petróleo venderam-nos aos neocolonialistas. Lá onde está o nosso técnico, afinal os FDP dos tugas não estão bons de saúde, já apresentam riscos cardíacos porque passam o tempo a beberem café, a suicidarem-se com cigarros, vida sedentária, andam sempre nervosos, de caras trancadas, e… comem muito mal para pouparem dinheiro para enviarem para Portugal. Mas que grandes atrasos de vida, grandes exemplos de boçalidade, se não comem, o corpo enfraquece e deixa-se possuir por qualquer infecção levando à morte prematura. Parvalhões!
02 de Outubro
A remodelação governamental dos assaltantes: agora, eles ficam à espera que as empregadas dos bancos saiam para as assaltarem.
O embaixador de Portugal em Angola disse no Uíge que vai convidar as empresas portuguesas para lá se instalarem. Isto é de tresloucados, e as empresas angolanas? Quer dizer: isto é chegar, instalar, dominar e escravizar sem problemas. Quem é que acredita nisso. Com este modo de actuação é mais um convite aos tumultos.
03 de Outubro
SOS racismo. Na empresa onde o nosso técnico mwangolé trabalha, os brancos já receberam e os trabalhadores mwangolés com muita sorte só receberão a partir do dia 15. Isso significa que inevitáveis consequências funestas se aproximam. Vale citar o provérbio: quem com ferros mata com ferros morre! Isto está demasiado miserável, em poder de quadrilhas que abrem o caminho para o banho daquilo que já sabem, onde os inocentes pagam pelos pecadores. A palavra de ordem é: transferir os dólares para Portugal e os mwangolés que se fodam! Tugas FDP PQP!
Rua rei Katyavala, queimaram cinco carros. Polícia investiga.
Desde manhã até agora, quinze horas e vinte e oito minutos, o tráfego de sirenes não pára. Não, não são dos bombeiros, são da Polícia.
ATENÇÃO POVO DE LUANDA! Estamos já nas malhas horríveis do crime organizado - os nigerianos são mestres nisso - do rapto sistemático de crianças. Que a Polícia deixe de perseguir manifestantes e zungueiras e inicie a caça a estes terríveis malfeitores. NINGUÉM ESTÁ A SALVO, de ficar sem os seus filhos. Só nos faltava mais este hediondo crime. Se conseguirem que as crianças saiam de Angola, elas serão vendidas por cinco mil dólares ou mais, violadas por tarados sexuais para que se curem da SIDA, ou para lhes esquartejarem e depois os bocados vendidos para a prática de feitiçaria.