sábado, 11 de outubro de 2014

Mais uma vez o gerador do banco millennium mata










Depois de catorze dias sem energia eléctrica – uma incrível proeza, pois é muito raro acontecer em Luanda – hoje cegaram-nos com um corte das 21.54 até às 22.29 horas. Mais uma vez o gerador do banco millennium Angola na rua rei Katyavala, despejou fumo de tal ordem que pelas janelas não se via nada, fumo muito denso. Eles sabem que assim matam pessoas, a missão deles é exterminar-nos, e - desculpem-me – não vejo nenhuma diferença entre as mortes do Estado islâmico, EI, e as deste banco feitas pelos portugueses da Teixeira Duarte, que prestam manutenção. Muito mal vai a engenharia portuguesa, ou melhor, falsos engenheiros que nem trabalhar sabem, pois quem faz merda desta, não é, não pode ser engenheiro, e ganha os tais milhares de dólares e outras riquezas, que são a nossa pobreza. Morrer pelo fumo ou pelo EI, qual é pois a diferença? Nenhuma, pois ambos são actos terroristas. Luanda está terrivelmente uma cidade sem lei, governada pelo terror e quando isso acontece nunca se sabe quem será a próxima vitima. Os criminosos que aqui impõem a sua lei da morte também violentamente morrerão.